Comissões ouvem secretário de Segurança Pública

Efetivo policial, feminicídio e orçamento para a área da segurança pública foram alguns dos temas abordados pelo secretário da Segurança Pública, General João Camilo Pires de Campos, em reunião conjunta das comissões de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários e de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana, da Cidadania, da Participação e das Questões Sociais. O objetivo do encontro foi receber o balanço do quadrimestre da Pasta e esclarecer dúvidas dos deputados sobre o tema. 

General João Camilo informou que a secretaria conta com um efetivo policial de cerca de 82 mil policiais militares, 24 mil policiais civis e 3,5 mil policiais técnico-científicos, explicando que, apesar de parecer ser um grande número, ainda demonstra ser insuficiente. Segundo ele, ainda é necessário a contratação de aproximadamente 21 mil novos policiais para complementar o quadro. "É importante que os deputados saibam, e quanto a isso o governador está ciente. Precisamos de concursos anuais. Os números atuais são grandes mas incompletos", afirmou. 

Sobre o orçamento que cabe à segurança pública no estado, General João Camilo explicou que são 22 bilhões anuais, dos quais 19 bilhões correspondem ao valor gasto com pessoal, dois bilhões em custeio e cerca de 945 milhões em investimentos. Ele destacou a importância desses investimentos visando a segurança da mulher, como em Delegacias da Mulher, uma forma de diminuir os índices de feminicídio. 

Salário de policiais 

Os deputados apresentaram suas dúvidas referentes a várias questões como o funcionamento da Ouvidoria da Polícia Militar, casos de suicídio de servidores, ações na Cracolândia e medidas de combate ao feminicídio. 

O presidente da Comissão de Segurança Pública e Assuntos Penitenciários, deputado Delegado Olim (PP), avaliou o encontro como proveitoso. "Estivemos reunidos e o secretario respondeu todas as perguntas de todos os deputados. O secretário mostrou que os índices de criminalidade estão caindo e o que está sendo investido na área. Foi um prestígio para a Assembleia e para todos que estiveram presentes", destacou. 

O vice-presidente Sargento Neri (AVANTE) destacou pontos da discussão que precisam de solução. "Eu espero que até outubro consigamos uma sinalização para a recomposição salarial dos servidores. Também precisamos de contratação urgente, tendo em vista que os recursos são demorados. Cada policial leva dois anos para se formar", alertou. 

O deputado Gil Diniz (PSL), membro de ambas as comissões, avaliou o encontro. "Estamos satisfeitos com as respostas, mas a nossa principal pauta é o reajuste salarial aos policiais e agentes. Além do governador, o secretário também deu a sua palavra quanto a este reajuste. Nós acreditamos, mas queremos saber a partir de quando isso começará a ser feito", disse. Por fim, acrescentou a sua visão sobre um general ocupando a Secretaria de Segurança Pública. "Temos orgulho de um general ocupando a pasta. Além de um bravo soldado, é um intelectual e alguém que entende de segurança pública", concluiu. 

O deputado Tenente Nascimento (PSL) comentou uma visita recente ao Comando Geral da Polícia Militar e destacou os índices apresentados pelo Coronel Sales, durante o encontro. "Os índices criminais caíram assustadoramente. Quero parabenizar a nossa Polícia Militar que mesmo com as adversidades enfrentadas, apresenta um índice altamente positivo", disse. Além disso, comentou sobre um projeto apresentado que estabelece a continuação das reformas nos hospitais dos policiais, assim como questionou o secretário sobre a criação das delegacias especializadas para elucidar crimes contra os servidores da segurança pública. 

A deputada Beth Sahão (PT), presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos, questionou a atuação da polícia na Cracolândia, entre outras coisas. "Precisamos saber como a polícia aborda esses usuários. Não dá para entrar atirando, independentemente se a pessoa é usuária ou traficante. Precisamos de várias audiências com o secretário para que possamos apresentar nossas demandas e cobrar soluções", disse. 

O secretário General João Camilo Pires de Campos afirmou estar satisfeito com a reunião e destacou que todas as questões discutidas foram feitas no local ideal. "Discutimos anseios que estamos trabalhando nos últimos tempos. A recomposição salarial e de efetivo está em curso, e iremos recompor os efetivos nos volumes possíveis. Estou satisfeito com a reunião e por tratarmos disso no ambiente adequado", afirmou o secretario. Além dos citados, estiveram presentes os deputados Adalberto Freitas, Adriana Borgo, Altair Moraes, Campos Machado, Castello Branco, Conte Lopes, Coronel Nishikawa, Delegado Bruno Lima, Ed Thomas, Erica Malunguinho, Isa Penna, Jorge Caruso, Luiz Fernando T. Ferreira, Major Mecca e Tenente Nascimento.


Fonte: Alesp

menu
menu