ASPs das regiões Metropolitana e Central instruem funcionários do sistema prisional de Alagoas sobre uso de escâner corporal

Dois agentes penitenciários compartilharam com cerca de 100 funcionários alagoanos suas experiências vividas no dia a dia de trabalho.

Carlos Vitolo Jornalista/Assessor de Imprensa do Sindasp.

imprensa@sindasp.org.br

® © (Direitos reservados. A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura do jornalista e do Sindasp-SP, mediante penas da lei.)

Os agentes de segurança penitenciária (ASPs), Getúlio Álvaro e Ricardo Maekawa, estiveram em Alagoas com o objetivo de realizar um treinamento sobre o uso do escâner corporal aos servidores penitenciários do Estado.

De acordo com Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), os agentes penitenciários pertencem às Coordenadorias de Unidades Prisionais da Região Metropolitana de São Paulo (Coremetro) e Região Central (CRC). Getúlio é funcionário do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Itapecerica da Serra, e Ricardo trabalha na Penitenciária de Piracicaba.

O treinamento foi oferecido pela Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris), de Alagoas. Por dois dias, quatro turmas com 25 servidores, das nove unidades prisionais de Alagoas, passaram pela formação. De acordo com a SAP, além do treinamento técnico, os servidores paulistas compartilharam experiências vividas no dia a dia de trabalho.

“A partir de algumas experiências registradas pelos escâneres de São Paulo pudemos mostrar casos reais, que também podem ocorrer no sistema prisional alagoano”, disse Álvaro. Maekawa destacou que São Paulo tem um corpo funcional capacitado. “Foi muito bom levar o nosso conhecimento para unidades prisionais de outro estado. Como servidor é importante saber que São Paulo é exemplo e que temos corpo funcional capacitado tanto para trabalhar como para ensinar em qualquer lugar do Brasil”, destacou o ASP.

menu
menu