Antes de chegar até os presos, visitantes são flagradas com facas escondidas em vasilhas de comida

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) informa sobre as tentativas de burlar a vigilância de agentes penitenciários no último final de semana, 5 e 6 de outubro. Todos os casos foram registrados por meio de boletim de ocorrência e os visitantes flagrados foram automaticamente suspensos do rol de visitas. Em cada uma das apreensões, os presos ficam isolados e respondem a Procedimento Disciplinar para apurar a cumplicidade daqueles que receberiam os materiais ilícitos.

Flórida Paulista

Na Penitenciária “AEVP Cristiano de Oliveira” de Flórida Paulista, no dia 06/10, foi registrada a apreensão de uma faca de mesa com uma visitante, mãe de um sentenciado. A faca foi vista no momento em que ela passava pelos procedimentos de revista em seus pertences jumbo (comida). A faca foi encontrada dentro de uma vasilha com salada de couve flor e alface. A segunda apreensão ocorreu no mesmo dia, quando outra visitante foi flagrada com um celular com bateria e dois chips, em uma vasilha de comida.

 

Pacaembu

Na Penitenciária “Ozias Lúcio dos Santos", de Pacaembu, em 06/10, uma visitante, ao passar pelos procedimentos de Raio-X e vistoria de alimentos, foi surpreendida tentando entrar na unidade com uma faca de mesa. O ilícito estava escondido no fundo da sacola que a visitante carregava.

Riolândia

Na Penitenciária “João Batista de Santana”, de Riolândia, no dia 06/10, uma visitante foi surpreendida durante os procedimentos rotineiros de revista no escâner corporal com um microcelular introduzido em sua genitália. A visitante retirou o ilícito por livre e espontânea vontade. No mesmo dia, durante revista de comida, foi encontrada uma faca de mesa com outra mulher que visitaria um sentenciado.

 

Irapuru

Na Penitenciária de Irapuru, em 06/10 uma senhora, irmã de sentenciado, passou pelo escâner corporal e foi constatado que havia algum objeto suspeito em seu órgão genital. A visitante, ao ser questionada, confessou os fatos, dirigindo-se até o banheiro acompanhada de duas agentes de segurança penitenciária, momento em que retirou de seu órgão genital um invólucro contendo um aparelho de telefonia celular.

 

Lavínia

Na Penitenciária “Luís Aparecido Fernandes", a PII de Lavínia, em 05/10, uma visitante passou pelo Raio-X seus gêneros alimentícios quando foi achado no bolso da sacola um pedaço de fio de cobre medindo aproximadamente 95mm. No dia seguinte, outra moça passou pelo Raio-X a comida que trazia quando foi encontrado um pedaço de fio de estanho medindo aproximadamente 1m e 40cm. Depois, foi identificado, por meio do escâner corporal, algo suspeito no corpo de outra visitante. Questionada, ela retirou voluntariamente de seu órgão genital e entregou um invólucro contendo um microaparelho celular. Em outro caso, uma jovem passou pelo escâner quando foi verificado algo suspeito em seu corpo. Quando ela fez a troca do absorvente, ficou constatado que trazia 13 pedaços de papel aparentemente K4, entorpecente sintético. Na Penitenciária “ASP Paulo Guimarães”, a P III de Lavínia, em 05/10, uma visitante foi surpreendida tentando entrar com 18 pedaços de papel quadriculados da cor laranja, aparentando ser droga sintética (K4) na vasilha de esfiha.

     

Martinópolis

Na Penitenciária “Tacyan Menezes de Lucena”, de Martinópolis, em 06/10, uma mulher tentou entrar na unidade com dois pedaços de papel escondidos no absorvente que ela usava. As imagens atípicas foram verificadas pelo escâner corporal. Inspecionado o material encontrado, constatou-se que os pedaços de papéis eram a droga sintética "K4".

  

Osvaldo Cruz

Na Penitenciária de Osvaldo Cruz, em 06/10, agentes flagraram uma visitante que passou pelo Raio-X e foi surpreendida com uma moeda de R$ 0,05 (cinco centavos) em sua cintura, ao lado direito, sendo impedida de entrar.

Presidente Bernardes

Na Penitenciária “Sílvio Yoshihiko Hinohara” de Presidente Prudente, em 5 e 06/10, cinco visitantes foram surpreendidas tentando entrar com objetos proibidos. No sábado, durante procedimento de revista no escâner corporal, a primeira visitante foi flagrada com um fio de estanho medindo aproximadamente 12cm que mantinha escondido na calcinha. Já as outras quatro moças, foram flagradas com um celular, totalizando quatro aparelhos, que mantinham escondidos em sua genitália.

  

Valparaíso

Na Penitenciária de Valparaíso, no dia 06/10, durante revista com aparelho de escâner corporal, foi apreendido um invólucro contendo cocaína que estava nas partes íntimas de uma mulher.

São José do Rio Preto

No Centro de Detenção Provisória de São José do Rio Preto, em 05/10, uma visitante foi surpreendida ao passar pelo escâner corporal tentando entrar com drogas na unidade. Ao ser submetida ao aparelho, a funcionária que operava o equipamento observou nas imagens geradas pela máquina, que havia alguma coisa suspeita na região do cós da calça da visitante. Ao ser questionada sobre a suspeita, a moça confessou que portava uma pequena porção de maconha. Ao ser verificado, foi encontrado ocultado no cós da calça da visitante uma porção solta da droga.

 

Capital

No dia 06/10, servidores do Centro de Detenção Provisória (CDP) "ASP Vicente Luzan da Silva", de Pinheiros I, apreenderam com a mãe de um detento cocaína e 27 tiras de papel contendo a droga sintética K4. Os ilícitos estavam escondidos na costura da calça da visitante. Também dia 6, foi apreendido ilícito com a avó de um preso. A senhora, de 80 anos, tentou entrar ao CDP de Pinheiros I com maconha escondida na costura do cós da calça.

  

Na Penitenciária "ASP Joaquim Fonseca Lopes", de Parelheiros, o escâner corporal acusou irregularidades no corpo de uma visitante. O fato foi dia 6 de outubro, quando a companheira de um preso foi surpreendida pelo equipamento. Foram encontradas 12 tiras do entorpecente K4 no cós da calça.

 

O Centro de Detenção Provisória (CDP) de Vila Independência também registrou uma ocorrência no domingo. A companheira de detento foi surpreendida durante o procedimento de revista ao passar pelo aparelho de escâner corporal. Ela tentava entrar o CDP com um invólucro escondido em sua genitália. O material continha 97,6g de maconha e 5,9g de cocaína.

  

A Penitenciária Feminina Sant'Ana também registrou uma ocorrência em 06/10. O visitante foi surpreendido tentando entrar na unidade com dois invólucros nas laterais da barra da cueca, contendo 0,8g de maconha.

São Bernardo do Campo

No Centro de Detenção Provisória "Dr. Calixto Antônio", de São Bernardo do Campo 5 e 6/10. No sábado, a mãe de um detento tentou entrar na unidade com itens de telefonia celular escondidos nas hastes dos óculos. Foram apreendidos seis chips e quatro alto-falantes de celular. Também dia 05/10, a companheira de um preso foi surpreendida ao passar pelo escâner corporal, que registrou um volume nas costas da visitante. A mulher acabou confirmando que tinha material ilícito embutido em seu top. No total, foram 23,11g de maconha e 31 pedaços da droga sintética K4. O mesmo CDP registrou uma apreensão de ilícitos escondidos no par de chinelos. O escâner corporal registrou imagem anormal nos chinelos da visitante que acabou confessando estar com 100 micropontos da droga sintética K4 e outros 100 micropontos de LSD.

   

Franco da Rocha

Dia 06/10, domingo, na Penitenciária "Nilton Silva", de Franco da Rocha, registrou duas apreensões com companheiras de sentenciados. Nos dois casos, o escâner corporal indicou a presença de invólucros introduzidos nas partes íntimas das visitantes. Ao examinar as apreensões, os servidores constataram tratar-se de substâncias análogas à maconha, em um caso, e semelhantes à cocaína, em outro. Na Penitenciária "José Aparecido Ribeiro", de Franco da Rocha, uma visitante foi surpreendida ao passar pela revista por intermédio do escâner corporal, que acusou um invólucro escondido no corpo da mulher. A companheira do preso tentou entrar na penitenciária com cerca de 30g de maconha, 94g de cocaína e 59 pontos de LSD.

    

Guarulhos

No Centro de Detenção Provisória "ASP Giovani Martins Rodrigues", de Guarulhos I, no sábado, dia 05/10, a visitante, irmã do preso, passou pelo escâner corporal que acusou irregularidades. A mulher negou que estivesse com algo introduzido, mas acabou confirmando que estava com droga em seu corpo. O invólucro continha 35g de maconha 103g de cocaína, além de cinco recortes da droga sintética K4. No dia seguinte, a esposa de um preso foi surpreendida, durante revista mecânica, ao tentar entrar no CDP com K4, em sua mão. Diante da constatação, a mulher tentou esconder o recorte de papel nas vestimentas mas acabou flagrada. Na Penitenciária "Desembargador Adriano Marrey", uma visitante apresentou irregularidade na imagem ao passar pelo escâner corporal. Durante a abordagem, verificou-se que, em meio a um invólucro de papel higiênico, havia a droga sintética K4.

   

Osasco

No domingo, 06/10, durante revista no escâner corporal, uma visitante tentou burlar a vigilância do Centro de Detenção Provisória "ASP Vanda Rita Brito do Rego", de Osasco. Ao ser questionada por uma servidora, a mulher assumiu estar portando invólucro com maconha camuflada na alça de seu sutiã.

São Vicente

No sábado, 05/10, a companheira de um detento foi vista com 106g de cocaína em um invólucro dentro das partes íntimas no Centro de Detenção Provisória "Luis César Lacerda", o CDP de São Vicente. O flagrante ocorreu quando a jovem, de 20 anos, foi revistada por meio de escâner corporal. Questionada, ela admitiu a infração e retirou o material do corpo espontaneamente, em local reservado. No mesmo dia, a irmã de um preso foi barrada ao tentar na Penitenciária 2 de São Vicente uma visitante foi surpreendida com 10g de maconha e 10 folhas da droga K4 em um invólucro escondido nos glúteos. No dia seguinte, no mesmo presídio, a companheira de um preso foi surpreendida ao ser revistada com o escâner corporal com um invólucro nas partes íntimas contendo 44g de cocaína e 27gs de maconha envoltos em fita adesiva.

  

Potim

Por volta das 11h do último domingo, 06/10, a esposa de um detento da Penitenciária “AEVP Jair Guimarães de Lima”, a P1 de Potim, foi surpreendida com 21g de maconha. Ao ser revistada por meio de escâner corporal, servidoras identificaram um objeto estranho na região abdominal da jovem, de 24 anos, que negou carregar qualquer ilícito e solicitou usar o banheiro, onde foi acompanhada por uma agente. Ao retornar, ela foi informada que seria repetido o procedimento de revista pelo escâner. O corpo estranho foi identificado mais uma vez pelos funcionários na lateral da cintura da visitante. Foi requisitada a revista manual na mulher, que tentou dispensar um invólucro no lixo do presídio, mas foi flagrada por agente que observavam seu comportamento.

Caraguatatuba

No Litoral Norte, também no domingo, 06/10, a irmã de um interno foi barrada ao tentar entrar com drogas nas partes íntimas dentro do Centro de Detenção Provisória "Dr. José Eduardo Mariz de Oliveira", o CDP de Caraguatatuba. A mulher, de 29 anos, trazia 52g de maconha e 110g de cocaína em um invólucro dentro do corpo e foi flagrada após passar pela revista pelo escâner corporal.

 

Mogi das Cruzes

No Centro de Detenção Provisória de Mogi das Cruzes no domingo, dia 6/10, uma mulher foi flagrada com maconha escondida na alça da bolsa. Por volta das 10h, quando teve seus pertencentes revistados por agentes da unidade prisional, foi identificado que a costura na alça da bolsa da visitante havia sido violada. Ao analisarem o acessório, os servidores encontraram um pequeno invólucro com 5g de maconha.

Itapetininga

No sábado, dia 05/10, uma mulher de 20 anos foi flagrada na Penitenciária “ASP Maria Filomena de Sousa Dias” de Itapetininga II, durante o procedimento de revista, com 3g de maconha no lacinho de cabelo usado pela mulher. Agentes perceberam as irregularidades por meio da imagem produzida pelo escâner corporal. Ao fazerem a verificação, encontraram três invólucros de maconha com a moça. A visitante confessou que escondeu para poder entregar ao companheiro.

Capela do Alto

Domingo, dia 06/10, duas mulheres foram flagradas com extratos bancários escondidos na roupa íntima, no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Capela do Alto, durante o procedimento de revista. O flagrante ocorreu porque os agentes perceberam alterações nas imagens produzidas pelo escâner corporal. Ao serem questionadas, mãe e companheira de detento admitiram que o comprovante seria entregue ao preso.

Casa Branca

Uma mulher de 45 anos foi flagrada na Penitenciária “Joaquim de Sylos Cintra” de Casa Branca, durante o procedimento de revista, com 5g de maconha na mão esquerda. Agentes perceberam as irregularidades por meio da imagem produzida pelo escâner corporal. Ao ser questionada, a visitante tentou jogar fora o saquinho com a droga, mas os agentes penitenciários perceberam a ação.

Avanhandava

Uma mulher foi flagrada tentando entrar na Penitenciária “Valdic Junio Alves Primo” de Avanhandava com 28,9g de maconha no ânus, durante procedimento de revista pelo escâner corporal, por volta das 10h45 de domingo, dia 06/10. A imagem mostrava um objeto suspeito na altura do quadril da visitante, que, após ser questionada, confessou a irregularidade e retirou de seu corpo a droga que entregaria para o companheiro quitar uma dívida com outro preso.

Ribeirão Preto

O Centro de Detenção Provisória (CDP) "ASP Nayan Xavier Ribeiro" de Ribeirão Preto registrou três apreensões no domingo, dia 06/10. A primeira ocorreu por volta das 9h50, quando uma mulher foi barrada ao tentar entrar na unidade com uma porção de maconha escondia no sutiã. O flagrante se deu durante procedimento de revista pelo escâner corporal. Minutos depois, os agentes de segurança se depararam com situação semelhante: outra visitante com maconha, também camuflada sob o sutiã. Ainda no período da manhã, às 9h50, a terceira mulher foi flagrada com maconha, desta vez escondida em sua vagina.

 

Já a Penitenciária de Ribeirão Preto registrou duas apreensões no domingo, dia 06/10, durante procedimento de revista pelo escâner corporal. Uma delas ocorreu às 10h, quando uma mulher foi flagrada com 41g de maconha escondidas em seu ânus. Questionada após ter sido descoberta, ela confessou a irregularidade e foi levada até um dos banheiros, onde retirou de seu corpo a droga que entregaria ao companheiro preso. Em outro caso, uma visitante tentou entrar na unidade com 89g de cocaína no ânus. Ao ser indagada, porém, a mulher pediu para ser conduzida até uma unidade hospitalar, onde, durante exames médicos, a droga foi retirada de seu corpo e entregue à autoridade policial.


Fonte: SAP

menu
menu