CDP 2 de Caiuá é inaugurado

O Sindasp participou na tarde desta segunda-feira (2) da inauguração do Centro de Detenção Provisória (CDP) 2 de Caiuá. Recentemente o secretário Nivaldo Cesar Restivo abriu inscrições para LPTE ao invés de respeitar a LPT e gerou descontentamento. A pedido do Sindasp, a resolução foi revogada e a LPT respeitada.

Carlos Vitolo Jornalista/Assessor de Imprensa do Sindasp.

imprensa@sindasp.org.br

® © (Direitos reservados. A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura do jornalista e do Sindasp-SP, mediante penas da lei.)

Foi inaugurado na tarde desta segunda-feira (2), com a presença do governador João Doria Junior (PSDB), o Centro de Detenção Provisória (CDP) 2 de Caiuá. A nova unidade prisional está localizada no km 634,240 da Rodovia Raposo Tavares (SP-270).

O Sindasp-SP marcou presença no evento e foi representado pelo advogado da sede regional de Presidente Venceslau, Felipe Ângelo.

A unidade prisional tem capacidade para abrigar 823 presos e teve custo de R$ 53.302.697,64.

Recente confusão entre LPT e LPTE para CDP de Caiuá

Recentemente o secretário de Estado da Administração Penitenciária, Nivaldo Cesar Restivo, abriu inscrições para o CDP de Caiuá por meio da Lista Prioritária de Transferência Especial (LPTE), o que gerou grande descontentamento nos servidores que aguardavam por logo tempo a mudança de unidade por meio da Lista Prioritária de Transferência (LPT).

O Sindasp-SP recebeu dezenas de reclamações e encaminhou ofício ao secretário solicitando a revogação da Resolução SAP 148, que autorizou a abertura de inscrições de agentes de segurança penitenciária (ASPs) e agente de escolta e vigilância penitenciária (AEVP)  para o CDP de Caiuá.

Restivo atendeu ao pedido Sindasp-SP e revogou a resolução. A revogação da resolução foi publicada no Diário Oficial.

menu
menu