Sindasp-SP repudia declarações do Sindespe a respeito da regulamentação da Polícia Penal

Tendo em vista a matéria publicada no site do Sindespe ( Sindicato dos Agentes de Escolta e Vigilância Penitenciária do Estado de São Paulo) do dia 16.01.2020, sobre documentação entregue ao secretário da SAP ( Secretária da Administração Penitenciária ), que propõe que as funções sejam mantidas após a regulamentação da Polícia Penal, o Sindasp-SP tem apenas a lamentar e repudiar tal posicionamento.

No texto do documento o Sindespe, alega que o estado não encontrou profissionais que preenchiam as “condições necessárias” para a substituição da Policia Militar e que buscou profissionais fora do seu quadro funcional através de concurso público.

Segundo o Sindespe, a Secretária da Administração Penitenciária queria funcionários mais adequados psicologicamente, fisicamente e intelectualmente.

Como órgão representativo da categoria dos agentes de segurança penitenciária (ASP), o Sindasp-SP (Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo), manifesta a indignação da categoria e repudia tal manifestação.

O Sindasp, deixa uma pergunta aos nobres colegas de profissão, já que se acham tão preparados psicologicamente, fisicamente e intelectualmente qual seria o problema de exercer novas funções dentro da unidade prisional.

Saibam que os chamados “guardas” que sofreram e sofrem pressão psicológica absurda dentro de pavilhões estarão preparados para qualquer função dentro de uma penitenciária.

Dentro do nosso quadro funcional temos “Agentes Penitenciários” que passaram por rebeliões, ficaram de reféns com facas apontadas para o pescoço, pessoas que passaram por essas situações estão preparadas para tudo.

Portando nobres amigos de profissão, parem de polemizar e se acharem superiores, deixem o GT (Grupo de Trabalho) apresentar sua proposta e não esqueçam estamos todos no mesmo barco.

O Sindasp enviará um ofício para Procuradoria, Secretária da Administração Penitenciária, Assembleia Legislativa, Gabinete do Governador e demais órgãos competentes para que se tome as medidas cabíveis a respeito das declarações do Sindespe.

 

 

 

 

 

 

menu
menu