Em nota à reportagem do Sindasp SAP confirma dois ASPs reféns na rebelião do CDP de Taubaté

A nota também confirma que o GIR está na unidade a postos e que há mais 12 pessoas da Pastoral Carcerária feitos reféns. O Sindasp-SP enviou diretores para acompanhar e dar apoio a ASPs

Carlos Vitolo Jornalista/Assessor de Imprensa do Sindasp.

imprensa@sindasp.org.br

® © (Direitos reservados. A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura do jornalista e do Sindasp-SP, mediante penas da lei.)

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) confirmou em nota à reportagem do Sindasp-SP que dois agentes de segurança penitenciária (ASP) foram feitos de reféns na rebelião que ocorre no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Taubaté.

A nota também relata que há mais 12 pessoas da Pastoral Carcerária de reféns. O Grupo de Intervenção Rápida (GIR) está no local pronto para qualquer ação que for necessária. “A direção está conversando com os presos envolvidos no ato de insubordinação”, relata a nota da SAP.

Assim que o Sindasp-SP tomou conhecimento da rebelião, preocupado com os agentes penitenciários e demais servidores da unidade, o sindicato encaminhou diretores para acompanharem de perto o fato.

Assim que forem apuradas mais informações publicaremos no site. Segundo o site da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), a unidade tem capacidade para abrigar 844 presos, no entanto conta com uma população de 1.521.

menu
menu