Sindasp aguarda posição oficial sobre criação do bônus anual, conforme decisão do grupo de estudos

Carlos Vitolo Jornalista/Assessor de Imprensa do Sindasp.

imprensa@sindasp.org.br

® © (Direitos reservados. A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura do jornalista e do Sindasp-SP, mediante penas da lei.)

O Sindasp-SP está aguardando a posição oficial do governo para a implantação do Bônus de Resultado Penitenciário (BRP), que faz parte do acordo assinado no Palácio dos Bandeirantes, durante as reuniões de negociação da greve ocorrida em março de 2014. Até o momento, nada de oficial foi divulgado.

De acordo com a última reunião, em 18/6, realizada pelo grupo de trabalho criado para realizar estudos para a implantação do bônus, que contou com a participação de representantes do Sindasp-SP, Sifuspesp, Sindcop e Sindespe, ficou acertado que uma nova reunião seria marcada para a apresentação do índice que deverá definir o bônus. Na sequência será feita a discussão dos critérios com os sindicatos.

Além dos representantes sindicais, o grupo também é composto por representantes da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Secretaria de Gestão Pública, Secretaria da Fazenda, Casa Civil, Secretaria da Administração Penitenciária (SAP).

Durante a reunião de 18/6, a SAP apresentou um levantamento sobre o impacto do bônus, no entanto, o levantamento era de 2014 e será atualizado e apresentado em uma próxima reunião do grupo, ainda não agendada. Após a atualização, o governo apresentará o índice do bônus.

O Sindasp-SP foi representado na reunião pelo diretor Jurídico da regional da Baixada, Márcio Assunção. O Sifuspesp foi representado por Fábio Cesar Ferreira e José Reinaldo Maracajá da Silva, o Sindcop por Carlos Neves e Carlos Eduardo e o Sindespe por Antonio Pereira Ramos e Shelley Xavier Raimundo.

menu
menu