Unidade feminina realiza Sipat com enfoque na qualidade de vida

A 1ª Sipat do Centro de Detenção Provisória Feminino de Franco da Rocha dá ênfase à saúde física e mental dos servidores

Durante uma semana, de 13 a 17 de março, o Centro de Detenção Provisória Feminino de Franco da Rocha (CDPFFR) realizou sua 1ª Semana Interna de Prevenção de Acidente do Trabalho (Sipat). Por ser o único CDP a atender reeducandas da Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) e da Coordenadoria de Unidades Prisionais da Região Metropolitana de São Paulo (Coremetro), os membros da Comissão Interna de Prevenção de Acidente (Cipa) procuraram enfocar temas de interesse do corpo funcional que é formado, em sua totalidade, por mulheres.

A 1ª Sipat do CDP priorizou palestras em torno de qualidade de vida, envolvendo a saúde física e mental. Na abertura do evento, a enfermeira Daniela Oliveira Pinto, do Instituto Acqua, promoveu um bate-papo sobre álcool e drogas. A oficial administrativa, Fabiana Gomes Magalhães achou bem esclarecedora a palestra, principalmente quando listou dicas de como detectar uma possível dependência em companheiros de trabalho, familiares ou conhecimentos.

O Suicídio foi outro tema abordado. O enfermeiro Wesley Silva Pinto, também do Acqua, tratou do assunto polêmico com informes importantes e necessários. Segundo dados estaduais, o suicídio vem aumentando a cada ano, principalmente diante de momentos de crises financeiras. Para o palestrante, o mundo necessita de pessoas realmente dispostas a prestar atenção aos desabafos de quem está longe da família e não sabe a quem recorrer

A Agente de Segurança Penitenciária (ASP), Natacha Caroline dos Reis Santana, relatou que a partir da palestra passou a prestar mais atenção nos outros. “Procuro ouvir as pessoas e não encaro mais as queixas como simples desabafos”, destacou.

Ação de acolhimento

O ponto alto da Sipat ficou a cargo da diretora do Grupo de Planejamento e Gestão da Qualidade de Vida e Saúde do Servidor (GQVidass), Iracema Costa Jansson. Em palestra realizada na radial, (corredor de acesso aos pavilhões habitacionais), a diretora falou para cerca de 20 Agentes de Segurança Penitenciária (ASP) sobre a importância da implantação e do funcionamento do atendimento acolhedor, como suporte da saúde física e mental do servidor.

Segundo ela, a ação está subordinada à Cipa e funciona como um braço do Centro de Qualidade de Vida e Saúde do Servidor (CQVidass) de cada Coordenadoria. Cabe aos membros de grupo de acolhimento realizar o pré-atendimento na própria unidade e processar o encaminhamento para o grupo de acolhimento, formado por profissionais de saúde nas áreas de psicologia, psiquiatria, clínica geral, nutrição, entre outras especialidades disponíveis do Núcleo de Saúde do Servidor, da Coordenadoria de Saúde da SAP.

Iracema destacou a importância da higiene mental para os servidores da secretaria como um todo. De acordo com ela, a higiene mental é importante porque dá ferramenta para separar as coisas positivas das negativas, não dando margem para angústia e ansiedade. “Sabemos das expectativas na vida de todos, mas enquanto as coisas esperadas não se tornem realidades, temos de cuidar para não se isolar, ao contrário, ter vida social e atividade física são importantes”, enfatizou.


Fonte: SAP

menu
menu