Agente é agredido covardemente no CDP de Mogi

0
354

 

 

Mais um agente de segurança penitenciária (ASP) foi agredido enquanto exercia suas funções dentro da unidade prisional. O ASP, que por questões de segurança não divulgamos o nome, é filiado do Sindasp-SP e medidas severas já foram cobradas junto à Secretaria da Administração Penitenciária (SAP).

 

A agressão ocorreu no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mogi das Cruzes na manhã da última terça-feira (4). Segundo informações colhidas com um ASP da unidade, a agressão aconteceu às 8h30, durante a contagem, quando o agente foi abrir a cela do raio, e se estendeu durante o banho de sol.

 

Os agressores utilizaram pedaços de madeira da produção de serviços terceirizados que são prestados pelos detentos a empresas. A covardia dos detentos provocou sangramento na face do ASP e hematomas por todo o corpo, além é claro de problemas psicológicos.

 

 

O Grupo de Intervenção Rápida (GIR) realizou uma “blitz” na unidade na quarta-feira (5) e os agressores foram todos transferidos para uma das Penitenciárias de Presidente Venceslau.

 

“É lamentável que ainda ocorram essas agressões contra os agentes penitenciários que trabalham dignamente para o sustento de suas famílias. É exatamente para se evitar essas agressões covardes que defendemos a automatização das unidades prisionais”, argumentou o presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo.

 

 

AUTOMATIZAÇÃO:  a proposta de automatização das unidades prisionais foi apresentada pelo Sindasp-SP ao secretário Lourival Gomes durante uma audiência realizada em 11/01/2012.

 

A automatização é uma antiga reivindicação de pauta do Sindasp-SP para a categoria e tem o objetivo de garantir a segurança tanto do sistema quanto do exercício diário das funções dos ASPs para que agressões como essa do CDP de Mogi das Cruzes não ocorram mais.

 

Com o pedido do Sindasp-SP, o secretário nomeou um grupo de trabalho para estudar a viabilidade da automatização das unidades prisionais. A equipe de trabalho analisou o modelo de uma cela da Penitenciária de Dracena.

 

Recentemente, o grupo concluiu as pesquisas e produziu um relatório em forma de vídeo apresentando os resultados. A reportagem do Sindasp-SP teve acesso ao vídeo com exclusividade e apresenta em primeira mão à categoria o resultado dos estudos do grupo de trabalho.

 

 

Com a conclusão dos trabalhos, agora o Sindasp-SP espera a análise final e a aprovação dos resultados pelo secretário Lourival Gomes. “Mais do que nunca aguardamos a presença do secretário Lourival Gomes para análise final da proposta e o início da automatização das unidades prisionais em todo o Estado”, disse Grandolfo.

 

O presidente aproveita o momento para convidar o secretário a conhecer a cela modelo da Penitenciária de Dracena. “Espero brevemente contar com a presença do secretário para conhecer pessoalmente o funcionamento da cela que serviu de estudo e modelo na Penitenciária de Dracena. Aguardamos um contato do secretário e uma posição positiva para a concretização do projeto”, finalizou Grandolfo.

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.