Agente penitenciário é agredido no CDP de Vila Independência

0
78

 

Mais um caso de agressão contra agente de segurança penitenciária (ASP) ocorreu quando o servidor exercia suas funções no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Vila Independência em São Paulo.

 

De acordo com informações de um diretor do Sindasp-SP que acompanhou o caso na Capital, a agressão ocorreu ontem, por volta das 15h, quando o ASP fazia a tranca do banho de Sol. Segundo as informações, o funcionário foi agredido por diversos presos e acabou ferido com escoriações pelo corpo e um corte na cabeça. O ASP foi levado ao hospital da Vila Alpina e passou a noite em observação.

 

O Grupo de Intervenção Rápida (GIR) foi chamado na unidade. O ASP deverá ser encaminhado à delegacia para registrar o boletim de ocorrência e Instituto Médico Legal (IML) para passar pelo exame de corpo de delito. 

 

O diretor apontou que a superlotação é um dos principais problemas da unidade, o que também motivou a agressão. De acordo com o site da SAP, o CDP de Vila Independência tem capacidade para 828, mas está com uma população de 2.681 detentos, três vezes mais que a capacidade.

 

Em casos de agressões contra servidores dentro das unidades prisionais, por determinação da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), a tranca é automática por 15 dias.

 

Automatização: de acordo com o diretor do Sindasp-SP, em decorrência dos diversos casos de agressões, a unidade começo a ser automatizada essa semana. A automatização da unidade só teve início após a insistência do Sindasp-SP junto a SAP mediante ofícios encaminhados ao chefe da Pasta. O objetivo da automatização é evitar o contato entre detentos e agentes penitenciários.

 

Como funciona: A automatização é um processo mecânico que dá a possibilidade de abrir e fechar as portas das celas à distância, através de um painel eletrônico composto por botões para cada cela. O procedimento ocorre trancando as portas com dois ferrolhos de aço que travam as grades.

 

Unidades automatizadas: até o último dia 18/1, segundo a SAP, um total de 42 unidades prisionais e um Anexo de Detenção Provisória (ADP) foram automatizadas.

 

Novas unidades já são construídas automatizadas: Desde 22 de novembro de 2013, todas as novas unidades construídas no Estado são automatizadas. O pedido foi feito pelo presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo, ao governador Geraldo Alckmin, durante a inauguração do CDP de Riolândia. Na ocasião, o governador aprovou a ideia do presidente e determinou que, a partir de então, todas as novas unidades deveriam ser construídas automatizadas.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.