Agentes penitenciários serão instrutores em curso de formação do Depen

0
47

Brasília, 15/04/09 (MJ) ? Os 656 candidatos que passaram na primeira etapa do concurso público oferecido pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen), do Ministério da Justiça, contarão com um treinamento especial na segunda etapa do processo seletivo. A diretoria do Sistema Penitenciário Federal (SPF) recrutou 50 agentes penitenciários federais para atuarem como instrutores no Curso de Formação Profissional.

A iniciativa é uma forma de valorizar a carreira do agente penitenciário e reconhecê-lo como principal operador do sistema. Com até 70 dias de duração, o curso é eliminatório e contará com treinamento técnico, operacional e teórico.

Os novos instrutores trabalham nas duas penitenciárias federais ? Catanduvas (PR) e Campo Grande (MS). No curso, eles atuarão em parceria com a Academia Nacional de Polícia (ANP) nas disciplinas operacionais (armamento e tiro; defesa pessoal e educação física policial) e teóricas (procedimentos administrativos e Sistema Penitenciário Federal).

Serão duas turmas: a primeira iniciará o curso no dia 13 de julho e a segunda, em meados de outubro. Após esta etapa, os candidatos aprovados aguardarão a nomeação e a posse. Além de Catanduvas (PR) e Campo Grande (MS), os novos servidores serão lotados nas duas unidades que serão inauguradas ainda este ano, em Mossoró (RN) e Porto Velho (RO).

Sistema Penitenciário Federal

O Sistema Penitenciário Federal (SPF) atua há 3 anos no combate ao crime organizado e, recentemente, recebeu o apoio da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP) para preencher os cargos abertos até que o concurso público seja finalizado. Atualmente, 30 agentes da Força e cerca de 170 agentes penitenciários federais trabalham em parceria para garantir a segurança do SPF.

Os estabelecimentos penais federais foram criados para abrigar presos de alta periculosidade que possam tumultuar o ambiente dos presídios estaduais, ser vítimas de atentados e tentativas de resgate ou que estejam em Regime Disciplinar Diferenciado (RDD).

Exemplo positivo para outros países, as unidades contam com modernos equipamentos de segurança, como aparelhos de Raio-X, de coleta de impressão digital, detectores de metais e câmeras que monitoram os detentos 24 horas por dia. As imagens são transmitidas em tempo real para uma sala de controle na penitenciária, para a Superintendência da Polícia Federal do estado e para a Central de Inteligência Penitenciária do Depen, em Brasília.

Todas as pessoas que entram nas unidades penais são revistadas e não há contato direto do detento com os advogados ? eles ficam separados por um vidro e monitorados por câmeras durante o encontro.

As celas possuem 7 metros quadrados, uma cama, mesa, banco, prateleiras, lavatório e vaso sanitário feitos de concreto. Para detentos do RDD, o espaço tem o dobro do tamanho ? há espaço para o preso tomar banho de sol sem sair do confinamento.

Fonte: MJ
__________________
IMPRENSA SINDASP-SP
imprensa@sindasp.org.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.