ASP é espancado por detentos na penitenciária de Pacaembu

0
19

Colaborou com a reportagem Gian Nascimento

 

Um agente de segurança penitenciária (ASP) foi agredido por um grupo de detentos na última quarta-feira (1º) na penitenciária de Pacaembu.

 

O fato aconteceu quando o ASP encaminhava o grupo para o banho de sol, um dos presos o puxou e em seguida grande parte do grupo passou a espanca-lo com chutes e socos. O agente teve vários ferimentos, principalmente na boca.

 

Nesta quinta-feira, o agente registrou um boletim de ocorrência e passou por exames de corpo de delito. A Polícia Civil deve abrir um inquérito para apurar o caso. Os diretores do Sindasp-SP Gláucio Reinaldo (Primeiro-Secretário), Gilmar Pereira (Sócio-Cultural) e Tony Jefferson (Suplente de Educação) estiveram ontem e hoje no local para acompanhar os fatos, dar apoio ao servidor e cobrar atitude das autoridades.

 

De acordo com Gláucio Reinaldo, 40 presos foram transferidos para a Penitenciária I de Presidente Venceslau. "Não é mais possível exercer a função de agente e representar o Estado dentro das unidades colocando a própria vida em risco", disse por telefone o presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo.

 

Em janeiro de 2012, Grandolfo esteve reunido em São Paulo com o secretário de Estado da Administração Penitenciária, Lourival Gomes, e com o coordenador da Croeste (Coordenadoria da Região Oeste), Roberto Medina, para discutir os casos de agressões contra agentes que se intensificaram desde 2011.

 

Na oportunidade, o secretário se comprometeu em tomar as medidas necessárias para por fim a esses ataques e punir os responsáveis, inclusive com remoção para o Regime Disciplinar Diferenciado (RDD). Gomes destacou que "todos serão punidos exemplarmente".

 

Também na época, o Sindasp-SP solicitou a criação das Células de Intervenção Rápida (CIR) em todas as unidades prisionais. O secretário disse que todas as unidades deverão colocar em prática o CIR e que vai cobrar as unidades que ainda não têm esse grupo. Gomes disse que os diretores vão ter que criar o CIR (nas unidades que ainda não têm) e que já há uma determinação do secretário, inclusive, para o treinamento dos agentes penitenciários.

 

“É necessário melhorar a segurança no sistema penitenciário para que os servidores exerçam suas funções em melhores condições de trabalho e garantam a preservação da integridade física e a própria vida. É por isso que somos a favor e conquistamos a automatização das unidades prisionais para a categoria. Estamos lutando intensamente para que todas as unidades sejam automatizadas”, disse Grandolfo.

 

Luta pela automatização: a aprovação da automatização das unidades prisionais pelo secretário Lourival Gomes foi a resposta à luta do Sindasp-SP, que teve como objetivo garantir a segurança tanto do sistema quanto do exercício diário das funções dos agentes de segurança penitenciária (ASP). O pedido foi feito pelo presidente Daniel Grandolfo, em 11/01/2012, durante uma audiência com o Gomes na Secretaria da Administração Penitenciária (SAP).

 

Oficina de produção de peças para automatização das celas – Penitenciária de Presidente Bernardes.

 

 

 

Saiba mais: Secretário Lourival Gomes anuncia automatização das unidades prisionais do Estado

Sindasp visita oficina de produção de peças em Marilía e automatização da Penitenciária de Getulina 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.