Cetesb dá sinal verde para presídio próximo a Santa Bárbara

0
30

A Secretaria Estadual da Casa Civil anunciou nesta sexta-feira (6) que a Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental) já aprovou, de forma prévia, o terreno escolhido para a construção de um CPP (Centro de Progressão Penitenciária) numa área de Limeira que faz limite com as cidades de Santa Bárbara e Iracemápolis.

 

Com a autorização, a Secretaria de Administração Penitenciária depende apenas da conclusão de estudos técnicos para pedir a licença ambiental prévia e licitar as obras.

 

A obtenção da licença foi informada ao vereador Antonio Pereira (PT) pela Secretaria de Casa Civil, em resposta a um requerimento aprovado pela Câmara. O parlamentar afirma que o governo se recusou a lhe dar uma cópia do documento.

 

“Isso é um claro desrespeito à população, que merece ser informada sobre os riscos que essa unidade trará para a região”, afirmou o parlamentar.

 

Por meio de sua assessoria de imprensa, a SAP informou que a CPOS (Companhia Paulista de Obras Públicas) ainda trabalha no projeto e que não há prazo previsto para abertura dos processos licitatórios.

 

A construção da unidade prisional, que terá capacidade para 1,1 mil detentos, gerou a revolta de políticos das três cidades. Além da localização, as autoridades criticam o regime da prisão – o semiaberto – em que os presos ficam livres durante o dia e apenas dormem entre as grades.

 

O prefeito limeirense, Paulo Hadich (PSB), entende que o melhor seria a construção de um presídio em regime fechado, enquanto o Judiciário defende a implantação de um CDP (Centro de Detenção Provisória).

 

O governo, por enquanto, resiste à qualquer possibilidade de alteração no projeto. A área no limite com Santa Bárbara foi indicada pelo ex-prefeito de Limeira Sílvio Félix (PDT) após políticos e entidades de Americana protestarem contra a desapropriação de um terreno nas proximidades do bairro Antonio Zanaga.

 

Fonte: O Liberal Net

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.