Comida estragada causa infecção, dizem agentes penitenciários em RR

0
38

Agentes da Penitenciária Agrícola de Monte Cristo revelaram que passaram mal e procuraram atendimento hospitalar após comerem refeições fornecidas em marmitas por uma empresa contratada pela Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc).

 

Eles dizem que, desde o início de março, se recusam a comer a alimentação até que a Sejuc tome providências e melhore a qualidade da comida servida.

 

Sob a condição de anonimato, um agente conta que teve uma infecção intestinal ao ‘comer a marmita’, quando estava de plantão na unidade prisional.

 

“Estava com fome. Não sei informar o que tinha na comida, mas era possível sentir um cheiro ‘estranho’. Poucos minutos depois de comer, quase me ‘desmanchei em fezes’. Passei mais de uma semana ‘caído’ e sem trabalhar. Fui ao hospital e tomei bastante soro. O médico me deu atestado. Se macaco comesse essa refeição fornecida para gente, os pelos cairiam”, disse.

 

Uma agente também passou mal após se alimentar. Ela afirma que constantemente a comida chega estragada. “A calabresa tem um mau cheiro e o feijão também. Sofri uma infecção ‘desastrosa’ após comer essa refeição”, afirmou.

 

Sindicato pretende recorrer à Justiça

 

Desde o dia 1° de março, de acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários de Roraima (Sindap), a categoria está fazendo um ‘protesto de rejeição’, até que a Sejuc tome providências em relação à comida.

 

O assessor jurídico da entidade, Sednem Mendes, adiantou que será feito um levantamento para saber quantos agentes passaram mal e tiveram algum tipo de infecção, depois de terem comido a refeição estragada.

 

“Vamos recolher documentos, como ficha hospitalar, e ajuizar uma ação civil no Ministério Público Estadual contra a Sejuc. E também vamos recorrer à Vara da Fazenda Pública para abrir um processo por danos morais, devido ao agente ter comido uma refeição estragada no serviço”, assegurou, ressaltando que enviará um ofício à Scretaria relatando o caso. “Com certeza, há mais servidores que ficaram doentes. Vamos saber quem são”.

 

Ainda de acordo com o Sindicato, as presas da Cadeia Pública estariam também se recusando a comer a refeição. “Elas estão jogando fora as marmitas que são fornecidas pela mesma empresa que nos atende”, acrescentou.

 

Segundo informou a assessoria de comunicação da Sejuc ao G1, decisões já foram tomadas para que a empresa melhore a alimentação fornecida ao agentes.

 

Em relação às denúncias dos agentes que passaram mal após comerem a refeição, a assessoria disse que aguardará um pronunciamento da categoria para se manifestar oficialmente.

 

Fonte: G1

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.