Condenações por tráfico entopem cadeias de SP

0
20

As cadeias paulistas estão cada vez mais lotadas de presos por tráfico de drogas. De acordo com pequisa da SAP (Secretaria de Administração Penitenciária), obtida com exclusividade pelo DIÁRIO, dos mais de 221 mil detentos homens no sistema carcerário do estado de São Paulo quase 39% estão encarcerados por esse motivo. 

 

Entre as mulheres a situação é ainda pior: em todo o estado, das 12,3 mil detentas, 72% estão atrás das grades por tráfico de entorpecentes. Em seguida, em ambos os sexos, vêm os casos de roubo, furto e homicídio.

 

Os dados chamam a atenção em um momento no qual o STF (Supremo Tribunal Federal) julga a descriminalização do porte de drogas para uso pessoal.

 

De acordo com o secretário de Administração Penitenciária, Lourival Gomes, a entrada cada vez maior de pessoas em prisões do estado é preocupante. 

 

“No período de 1 de janeiro de 2011 a 31 de julho de 2015, a secretaria incluiu, em suas unidades penais de todo o estado, 497.393 presos. Somente nos primeiros sete meses deste ano, 65.617 pessoas entraram no sistema penitenciário paulista, o que representa a inclusão média mensal de 9.373 presos ou 312 detentos por dia”, explicou Gomes. 

 

O comandante da SAP afirmou que em virtude desse grande volume, foi preciso estudar melhor qual o perfil dos presos recolhidos nas cadeias de São Paulo.

 

POLÊMICA/ Especialistas ouvidos pelo DIÁRIO explicam que atualmente não há uma quantia certa de drogas que caracterize o tráfico e que a prisão ou não da pessoa vai depender da interpretação do policial que faz detenção, somada às deliberações do delegado e do juiz que vai analisar o caso.

 

A secretaria não dispõe do percentual de pessoas presas por tráfico de drogas que foram pegas com pequenas quantidades de entorpecente, mas para a socióloga e pesquisadora do NEV-USP (Núcleo de Estudos da Violência da USP), Camila Nunes Dias, o número deve ser significante e as penas para esse tipo de crime costumam ser severas.

 

“A maior parte dessas pessoas não foi flagrada com meia tonelada de drogas, mas com uma quantia bem menor, que varia de algumas gramas a quilos”, afirmou Camila, que também é professora da UFABC (Universidade Federal do ABC).

 

“Eles são a ponta do sistema lucrativo que é o tráfico e a prisão dessas pessoas e a apreensão das drogas não vai em nada alterar o quadro desse comércio, sendo o único efeito a hiperlotação do sistema carcerário e o fortalecimento de organizações como o PCC (Primeiro Comando da Capital)”, disse a socióloga.

 

Dados do levantamento (cinco crimes com mais detentos):

 

 

Fonte: Diário de S.Paulo

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.