Crise no sistema prisional do DF provoca queda de secretário; Sesipe também muda

0
25

Após a fuga de dez presos da ala de segurança máxima do Complexo Penitenciário da Papuda, no último domingo (21), quatro deles ainda foragidos, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, anunciou nesta terç (23) mudanças no sistema prisional de Brasília.

 

Em coletiva de imprensa, o governador informou que a Subsecretaria do Sistema Penitenciário (Sesipe) vai voltar a ser coordenada pela Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social. Até então, a subsecretaria era vinculada à Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejus).

 

A justificativa é que a nova estrutura vai facilitar a coordenação da ação das forças de segurança no Distrito Federal. “Cabe à Secretaria da Segurança Pública traçar políticas públicas de segurança, uma coordenação entre as forças. Nós entendemos que esse planejamento e essa ação coordenada são importantes nesse momento”, avaliou o chefe da Casa Civil do DF, Sérgio Sampaio.

 

Sampaio disse que o governo atual herdou o sistema prisional com algumas dificuldades, principalmente o deficit de agentes penitenciários para atuarem na Papuda. “O governo decidiu, assim que tomou posse, fazer um concurso para agentes penitenciários. Esse concurso está em andamento e pretendemos, até o final do ano, repor boa parte da mão de obra que é necessária. Até lá vamos buscar uma maior integração das forças das polícias Militar e Civil no sentido de prestar um apoio, respeitando as atribuições”, explicou.

 

Também foram anunciadas mudanças no comando da Sejus. O secretário de Justiça, João Carlos Souto, será substituído interinamente pelo chefe de gabinete da Casa Civil, Relações Institucionais e Sociais, Guilherme Rocha de Almeida Abreu.

 

Outra mudança é a saída do subsecretário do Sistema Penitenciário (Sesipe), João Carlos Lóssio. A Sesipe será chefiada pelo diretor-adjunto da Polícia Civil, delegado Anderson Espíndola. O substituto de Espíndola na corporação ainda não foi anunciado.

 

Diretor anuncia saída

 

O diretor da Penitenciária do Distrito Federal 1 (PDF 1), onde ficam os presos de regime fechado, delegado Mauro Cezar Lima, comunicou, ainda nesta noite, que entregará o cargo.

 

Perfis

 

Anderson Jorge Damasceno Espíndola (foto) tem 44 anos e é delegado da Polícia Civil do DF desde 1996. Bacharel em direito, dirigiu o Centro de Detenção Provisória, no Complexo Penitenciário da Papuda, e a Delegacia de Repressão a Roubos e Furtos de Veículos. Também chefiou a 1ª e a 4ª Delegacias de Polícia, na Asa Sul e no Guará, respectivamente. De 2009 a 2011, ocupou o cargo de subsecretário do Sistema Penitenciário. Também coordenou a Regional de Polícia Metropolitana. Atualmente ocupa o cargo de diretor-adjunto da Polícia Civil.

 

Guilherme Rocha de Almeida Abreu tem 48 anos e é formado em engenharia mecânica e direito. É perito criminal desde 1993 e chegou a chefiar o Instituto de Criminalística da Polícia Civil do DF. Atualmente desempenha o cargo de chefe de gabinete da Polícia Civil do DF.

 

Fonte: Jornal de Brasília

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.