Deputados se reúnem na segunda para análise da reforma da Previdência e Sindasp marcará presença na Alesp

0
14

Na segunda-feira (25) está marcada uma reunião entre os deputados na Assembleia Legislativa, às 9h, para a análise da proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governador João Doria (PSDB) e que prejudica os funcionários públicos estaduais, entre eles, os servidores do sistema penitenciário.

A tramitação de urgência da proposta tem o objetivo de que o plenário da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) aprove ainda em 2019 a proposta.

Para combater a aprovação da reforma de Doria, o Sindasp-SP estará presente na Assembleia Legislativa para defender os funcionários do sistema penitenciário.

As Diretorias Executiva e Regionais do Sindasp-SP convocam os servidores que estiverem de folga para que compareçam na Alesp e ajudem na pressão junto aos deputados para que a proposta seja rejeitada.

Entre os pontos que mais prejudicam os servidores está a elevação da idade mínima de aposentadoria voluntária, de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens. Outro ponto é a ampliação da alíquota de contribuição previdenciária dos funcionários públicos, que passa de 11% para 14%.

â–ºServidores fazem manifestação em frente a Alesp

Na última terça-feira (19), os sindicatos que representam o sistema penitenciário no Estado de São Paulo participaram de uma manifestação contra o projeto de reforma da Previdência proposta pelo governador. O presidente do Sindasp-SP, Valdir Branquinho, esteve presente no protesto.

O protesto foi realizado por diversas categorias de servidores e aconteceu em frente a Assembleia Legislativa. O objetivo da manifestação foi chamar a atenção dos deputados para o convencimento de que o projeto de Doria deve ser rejeitado pela Assembleia Legislativa.

â–ºDeputada Monica da Bancada Ativista anuncia mandado de segurança para impedir reforma da Previdência de Doria

Em pronunciamento na sessão plenária da Assembleia Legislativa na terça-feira (19), a deputada estadual Monica da Bancada Ativista (PSOL), disse que o mandato da Bancada Ativista entrou com um mandado de segurança para impedir a tramitação às pressas da reforma proposta pelo governador. De acordo com a deputada, “ao enviar essa proposta aqui para a Casa, o governador João Doria descumpriu a Constituição e não mandou dados e estudos técnicos que expliquem e justifiquem porque da necessidade de uma reforma”, disse a deputada.

Monica argumentou ainda que, sem saber se existe problema, qual é o problema e qual é o tamanho do problema fica impossível justificar qualquer proposta. “A gente questiona na Justiça a ausência de dados técnicos, e isso é constitucional […]. É impossível analisar o projeto sem estudos técnicos”, disse.

“Doria quer enfiar uma reforma goela abaixo; Doria quer enfiar um texto do jeito que ele sonhou sozinho; Doria despreza a Assembleia Legislativa tanto quanto despreza os servidores públicos”, declarou a deputada que foi aplaudida pelo público presente.

A deputada disse que Doria não é um rei para governar sozinho. “Não é aceitável que o governador João Doria queira governar sozinho como se fosse um rei, ele não é. E nós vamos dar trabalho, vamos obstruir, e os servidores eu tenho certeza que vão incendiar as ruas e vão demonstrar a sua força”, disse.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.