Diretores do Sindasp deixam a Itália no domingo e trazem na bagagem a experiência da melhor Polizia Penitenziaria do mundo

0
106

  Diretores do Sindasp-SP e policiais penitenciários do Sappe                                                                                   

 

 

 

Depois de uma semana inteira e da agenda repleta de compromissos, os diretores do Sindasp-SP (Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo) deixarão a Itália de volta ao Brasil neste domingo (1º). (Fotos no final da reportagem).

 

Os diretores chegaram a Roma no domingo (24) e foram recepcionados pelo Sindacato Autonomo Polizia Penitenziaria (S.A.P.Pe.), com o objetivo de conhecerem de perto a Polizia Penitenziaria e o sistema penitenciário italiano.

 

As delegações do Sindasp-SP e do Sappe, visitaram penitenciárias italianas, escolas de formação da Polizia Penitenziaria, departamento operacional para a gestão de prisioneiros perigosos, líderes do governo italiano, “Museo Criminologico” (Museu Penitenciário), Gruppo Operativo Mobile (GOM), entre outros.

 

Durante a estadia na Itália, os diretores do Sindasp-SP puderam conhecer a dimensão da estrutura e da organização da Polizia Penitenziaria e do sistema penitenciária italiano.

 

Ao visitar a escola de formação, o presidente Grandolfo foi convidado a discursar aos novos policiais penitenciários e ressaltou o exemplo da Polizia Penitenziaria para todo o mundo e principalmente para o Brasil, que pretende criar a Polícia Penal através da aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 308/04. Diante dos alunos italianos, o presidente do Sindasp-SP disse que os agentes penitenciários brasileiros querem “sentir o mesmo orgulho” que os policiais penitenciários italianos sentem em servir a Polizia Penitenziaria.

 

Neste último dia de visita, o Sindasp-SP e o Sappe visitaram a sede do Gruppo Operativo Mobile (GOM), que é um grupo preparado para agir a qualquer momento (uma espécie de GIR – Grupo de Intervenção Rápida – existente no sistema penitenciário do Estado de São Paulo). Visitaram ainda uma penitenciária masculina e outra feminina, ambas na capital italiana. Também conheceram um núcleo de estudos de armas letais e não-letais, o NIC. Neste centro de estudos são analisadas e estudadas todas as armas a serem utilizadas pela Polizia Penitenziaria com o objetivo aprovarem o não o armamento.

 

Por fim, os agentes penitenciários diretores do Sindasp-SP retornaram para a sede do Sappe onde receberam diversas homenagens dos policiais penitenciários italianos. Confira abaixo as fotos do último dia e das homenagens.

 

“Aprendemos muito nos dias de convivência direta com os policiais penitenciários italianos, ao retornarmos para o Brasil, tentaremos apresentar a experiência da Polizia Penitenziaria Italiana ao governo brasileiro, ao Congresso Nacional e às Assembleias Legislativas, quem sabe assim as autoridades tomem consciência da importância da criação da Polícia Penal na federação e nos estados”, declarou o presidente Grandolfo, ao agradecer os diretores do Sappe.

 

A visita do Sindasp-SP à Itália não seria possível sem o apoio total dos policiais penitenciários do S.A.P.Pe., que ofereceram toda a estrutura necessária para o intercâmbio. “Quero agradecer aos policiais penitenciários italianos, aos diretores do Sappe, diretores e comandantes das unidades prisionais, ao GOM, à chefe do Departamento da Administração da Polizia Penitenziaria Italiana, Simonetta Matone, pela acolhida ao Sindasp-SP e pela experiência marcante, inovadora e inesquecível”, finalizou o presidente Daniel Grandolfo.

 

A comitiva do Sindasp-SP foi formada pelos seguintes diretores: Daniel Grandolfo (Presidente), Valdir Branquinho (Vice-presidente), Gláucio Reinaldo M. Pereira (Primeiro secretário), Gilmar Pereira de Oliveira (Diretor sócio-cultural), Carlos Alberto B. Peretti (Suplente de Saúde) e Andrey Rodrigues Silva (Suplente de Esportes).

 

Pontos para recordar:

 

Despesas da viagem: os dirigentes italianos ofereceram estadia, alimentação e transporte para a comitiva do Sindasp-SP e arcaram com tais despesas. No entanto, cada diretor do Sindasp-SP arcou com sua passagem de ida e volta. O Sindasp-SP não ofereceu nenhuma ajuda financeira, ou de qualquer outra natureza aos diretores que se dispuseram a participar da visita à Itália. E nem poderia ser diferente, visto que a gestão atual preserva o nome da instituição e de cada filiado, administrando a entidade com transparência. Qualquer outro tipo de conversa que possa surgir em relação à viagem dos diretores, não passa de “factoide” criado apenas para tentar denegrir a imagem da instituição, dos diretores e dos filiados.

 

Polizia Penitenziaria Italiana: a instituição é o melhor exemplo de organização pelo qual o Brasil deve se espelhar para aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 308/04, que cria a Polícia Penal, e que visa incluir o sistema prisional brasileiro no Artigo 144 da Constituição Federal, reconhecendo o mesmo como instituição inerente à Segurança Pública. Com a criação da Polícia Penal, deverão ser acrescentados dois incisos na Constituição: Polícia Penal Federal e Polícia Penal Estadual.

 

Convidados: o Sindasp-SP convidou diretores do Sindcop (Sindicato dos Servidores Públicos do Sistema penitenciário Paulista) e de diversas outras entidades sindicais para comporem a comitiva rumo à Itália, no entanto, por motivos pessoais, não estiveram presentes. 

 

  Secretário-geral do Sappe, Donato Capece e presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo                            

 

  Ao centro, o Comandante geral do GOM e o Secretário-geral do Sappe, Donato Capece, com os diretores do Sindasp-SP  

 

  Reunião entre Sindasp-SP, Sappe e Comandante geral do GOM, Secretário-geral do Sappe, Donato Capece, e Daniel Grandolfo do Sindasp-SP  

 

                    

  Comandante geral do GOM e presidente do Sindasp-SP  

 

  Brasão do GOM                                                                                                                                   

 

  Armamento no núcleo de estudos de armas letais e não-letais – NIC                                                                    

 

  Presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo, Comandante geral do GOM, e Secretário-geral do Sappe, Donato Capece  

 

  Diretores do Sindasp-SP em uma ds salas na sede do Sappe                                                                                  

 

  Debate sobre sistema prisional                                                                                                                                         

 

  Escola de formação da Polizia Penitenziaria                                                                                                                 

 

  Escola de formação da Polizia Penitenziaria                                                                                                                 

 

  Escola de formação da Polizia Penitenziaria                                                                                                                 

 

  Daniel Grandolfo, o Diretor Geral da Penitenciária de Roma  e  o Secretário-geral do Sappe, Donato Capece 

 

  Viatura do Canil                                                                                                                                                                      

 

  Daniel Grandolfo e o Secretário-geral do Sappe, Donato Capece                                                                            

 

  Secretário-geral do Sappe, Donato Capece, Gláucio Reinaldo e Daniel Grandolfo do Sindasp-SP, e um diretor do Sappe  

 

  Daniel Grandolfo, testando a motocicleta da Polizia Penitenciária Italiana                                                            

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.