Durante visitas Policiais Penais apreendem ilícitos nas unidades do Estado de São Paulo

0
26

Franco da Rocha

No sábado, dia 29, uma mulher tentou entrar o Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Franco da Rocha com ilícito escondido nos pertences. A droga K4 estava enrolada em um papel toalha e foi descoberta pelos Policiais Penais no momento da revista manual. No domingo, na Penitenciária “Nilton Silva”, a PII de Franco, foram duas tentativas frustradas de visitantes tentando entrar com objetos ilícitos no corpo. No primeiro caso, a esposa de um sentenciado foi flagrada com a droga sintética K4. O material estava escondido no cós da calça dela. No outro caso, o irmão de um preso foi barrado pelos agentes que identificaram objetos nas pernas e na calça do visitante. Os entorpecentes estavam no cós da calça e colados com plástico filme na perna do homem: K4 e a maconha. Ainda domingo, na Penitenciária “José Aparecido Ribeiro”, a PIII de Franco, uma visitante foi surpreendida pelos agentes de segurança com entorpecentes na calcinha e no absorvente. O flagrante ocorreu a partir da revista feita pelo body scanner, que mostrou uma imagem suspeita na região pélvica da mulher. Ao todo, eram 19 g de maconha e 50 pontos da droga sintética K4.

 

São Paulo

No domingo, dia 1º, Policiais Penais da Penitenciária “ASP Joaquim Fonseca Lopes”, de Parelheiros, impediram a entrada de uma placa de microcelular que estava escondida nas partes íntimas de uma visitante. O flagrante ocorreu no momento em que ela passava pelo body scanner, que indicou uma imagem suspeita na região pélvica. Ela confessou que carregava o aparelho no corpo e retirou o objeto de forma espontânea. Em mesma data, no Centro de Detenção Provisória Chácara Belém I, um irmão de detento foi frustrado no momento em que passava pelo procedimento de body scanner, que flagrou uma imagem suspeita na região dos glúteos. Ele confessou que escondia um invólucro com três pacotes de cocaína, um embrulho com maconha, outro pacote com haxixe e dezesseis comprimidos de LSD. Também no domingo, outra mulher foi flagrada pelo aparelho de body scanner tentando entrar na unidade prisional com fone de ouvido escondido em seu sutiã.

 

Diadema

O Centro de Detenção Provisória (CDP) de Diadema registrou no domingo uma tentativa frustrada de uma mulher, mãe de detento, que pretendia entrar com entorpecentes na unidade prisional. O material estava oculto na presilha de cabelo dela e foi flagrado pelos agentes de segurança durante sua passagem pelo body scanner. Os invólucros continham maconha e cocaína.

 

Santo André

Uma mulher foi surpreendida por agentes de segurança do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Santo André ao tentar entrar no presídio com um aparelho microcelular e um chip de telefonia móvel introduzidos nas partes íntimas. O flagrante ocorreu no último domingo,1º, por meio do aparelho de escâner corporal, que indicou um objeto estranho no corpo da mulher. Ao ser indagada, ela acabou confessando que escondia um invólucro no corpo.

 

Guarulhos

Uma mulher foi surpreendida com invólucros escondidos no cós da calça, no momento em que passava pelo procedimento de revista na Penitenciária “Desembargador Adriano Marrey”, de Guarulhos. O escâner corporal identificou uma imagem suspeita na parte inferior do corpo dela. A mulher confessou que possuía pacotes contendo maconha, haxixe, três folhas de papel e 13 tiras de droga sintética K4. O caso aconteceu no sábado, 29.

 

Mauá

No Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mauá o pai de um detendo foi flagrado pelo escâner corporal ao tentar visitar seu filho com quatro comprimidos da cor azul escondidos na calça. O caso ocorreu no domingo.

 

Pirajuí

Sábado, dia 29, agentes de segurança flagraram uma visitante tentando entrar na Penitenciária II “Luiz Gonzaga Vieira” de Pirajuí com um mini celular escondido em sua vagina. O flagrante foi às 9h40, quando uma mulher que visitaria o companheiro preso foi submetida à revista pelo escâner corporal. A imagem apontou um volume suspeito na região íntima. A mulher confessou aos servidores que havia um telefone móvel introduzido em sua genitália. O mini celular estava acondicionado em um invólucro preto de borracha.

 

Americana

Uma mulher foi flagrada no Centro de Detenção Provisória “AEVP Renato Gonçalves Rodrigues” durante o procedimento de revista, no sábado, dia 29, com o valor de R$ 11,30 e duas alianças. Policiais Penais perceberam as irregularidades por meio da imagem produzida pelo body scanner.

 

Hortolândia

Duas mulheres foram flagradas na Penitenciária “Odete de Campos Leite Critter”, Hortolândia II, durante o procedimento de revista, no sábado, dia 29. Na primeira apreensão, a companheira de um detento passou pelo body scanner e, por meio das imagens, agentes detectaram entorpecentes em seu corpo, totalizando 62 g de cocaína e 42 g de maconha, em suas partes íntimas. Depois, outra visitante foi barrada por estar com 99 g de cocaína também nas partes íntimas. Ela também passou pelo body scanner.

 

Suzano

No CDP de Suzano, uma visitante foi barrada com seis pedaços de papel K4 escondidos entre fatias de muçarela, no domingo, dia 1º. A mulher pretendia entregar o ilícito a seu filho, recluso na unidade prisional.

 

Mogi das Cruzes

No mesmo dia, no CDP de Mogi das Cruzes, a mãe de um detento foi flagrada com drogas na roupa íntima. Ao passar pelo procedimento de revista por meio do body scanner, agentes observaram um volume estranho na região dos seios da mulher. Questionada, a visitante admitiu que trazia um pedaço de papel K4 e 100 “pontos” de LSD no sutiã.

 

Lucélia

A mãe de um sentenciado tentou entrar na Penitenciária de Lucélia com materiais permitidos. Porém, dentro de sabonetes, ela escondida quatro pedaços de serra medindo aproximadamente 6 cm cada. A descoberta se deu no sábado, 29, durante os procedimentos de revista.

 

Mirandópolis

Na Penitenciária “ASP Lindolfo Terçariol Filho” de Mirandópolis, a companheira de um sentenciado passava pelo escâner corporal, mas o aparelho identificou uma imagem suspeita no cós da calça da mulher. Após indagá-la, ela foi a um local apropriado e retirou a peça de vestuário, onde foram encontradas quatro folhas de cor amarela e duas brancas. A mulher confessou que se tratava do entorpecente K-4.

 

Irapuru

Sábado, na Penitenciária de Irapuru, uma mulher tentou passar pelos procedimentos de revista no aparelho de scanner corporal escondendo um celular nas partes íntimas. Ao ser questionada, ela confirmou o fato se dirigiu até o vestiário feminino para retirada do aparelho.

 

Riolândia

No Centro de Detenção Provisória “ASP Valdecir Fabiano” de Riolândia, ao passar pelo scanner corporal, a companheira de um sentenciado foi flagrada com uma mensagem relacionada a bando criminoso escrita no avesso da calça que vestia.

 

Valparaíso

No Centro de Progressão Penitenciária de Valparaíso, Policiais Penais abordaram uma mulher que tentava entrar no presídio para visitar o companheiro sentenciado. Durante os procedimentos de revista, o aparelho de escâner corporal detectou a imagem de um invólucro no corpo da visita que, ao ser informada sob a possibilidade de ser conduzida à Santa Casa para exame mais minucioso, resolveu retirar o objeto da genitália e entregá-lo, o qual continha maconha. A Polícia Militar foi acionada e encaminhou a visitante à Delegacia de Polícia de Valparaíso para apuração do flagrante delito.

 

Flórida Paulista

Na Penitenciária “AEVP Cristiano de Oliveira”, durante procedimento de revista via escâner corporal e conferência de vestuário, uma visitante foi surpreendida portando dentro de ambos os bolsos da calça dois papéis com características de entorpecente K-4.

 

 

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.