Governo de SP afirma que bloqueio de celular custará até R$ 30 mi

0
8

O governo paulista disse ontem que pretende gastar até R$ 30 milhões por ano com a instalação e a manutenção de bloqueadores de sinal de celular e internet em 22 penitenciárias do Estado.

 

O valor é bem inferior ao teto de R$ 1,1 bilhão publicado pela Folha no sábado passado. Essa quantia era a estimativa máxima para 30 penitenciárias durante um ano.

 

O secretário estadual de Planejamento, Júlio Semeghini, afirmou ontem que a divulgação das informações – segundo ele, equivocadas- gerou insegurança nas empresas que pretendem concorrer na licitação. O edital deve ser lançado na próxima quinta-feira, dia 15.

 

Na semana passada, ao ser questionado sobre a estimativa de gastos da implantação do sistema “por presídio”, ele mencionou valores mensais de R$ 1 milhão a R$ 3 milhões.

 

Em seguida, declarou que isso representaria um gasto próximo “de R$ 20 milhões a R$ 30 milhões por ano”.

 

Semeghini explicou ontem que, ao citar a quantia, já se referia ao custo total da implantação no Estado, e não apenas “por presídio”. O entendimento da reportagem, para ele, foi equivocado.

 

Em nota, a assessoria do secretário afirmou ser “completamente irreal” a estimativa de até R$ 1,1 bilhão.

 

Cinco especialistas ouvidos pela reportagem, entre eles donos de empresas que fazem bloqueio de celular, disseram que esse teto estava dentro do esperado.

 

A justificativa era que os preços para bloquear celular dependem do sistema usado e da localização da prisão.

 

Dois sistemas foram testados. Um é o gerador de ruídos, que “suja” o sinal do celular e o impede de fazer ou receber ligações. O outro é o simulador de estação rádio base, que “suga” as chamadas para uma antena perto do presídio e impede que elas sejam completadas.

 

Fonte: Folha de São Paulo
 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.