Inicio Geral Mato Grosso inaugura CDP com sistema moderno e mais seguro

Mato Grosso inaugura CDP com sistema moderno e mais seguro

0

O Centro de Detenção Provisória inaugurado hoje é o primeiro de quatro que são construídos no interior do Estado.

Governador e comitiva conhecem novo sistema, em que agentes liberam e fiscalizam os presos de cima
?É um sistema moderno, inteligente e atende todos os requisitos de segurança e tratamento dos presos?. A avaliação é do diretor do Fórum de Tangará da Serra, Jamilson Haddad, sobre o novo Centro de Detenção Provisória de Mato Grosso, inaugurado pelo governador Blairo Maggi, nessa quarta-feira (13.05), em Tangará da Serra (240 km a Médio-Norte de Cuiabá).

O juiz defende que investir no sistema prisional representa melhorias para a população, porque é garantia de mais segurança. ?Um modelo de sistema prisional como esse evita rebelião, dá segurança aos profissionais que atuam no local, seus familiares, tratamento adequado aos presos e aos visitantes, e evita fugas?, comentou o magistrado.

Um na cidade de Pontes e Lacerda e outro em Juína, com previsão de entrega para o final de 2009. A quarta unidade está em fase de licitação e será construída em Peixoto de Azevedo, na região Norte de Mato Grosso. Com essa medida o Governo do Estado amplia em 1.800 o número de vagas para o sistema prisional.

Mais que uma nova estrutura e ampliação de vagas, o centro de detenção é construído com um novo modelo de cela e fiscalização. Com o novo sistema, os agentes prisionais não têm contato direto com os presos. As celas são abertas por uma tranca aérea (de cima), em que a liberação dos reeducandos para qualquer movimentação é feita do alto. Esta foi a principal característica da nova unidade citada por todas as autoridades do setor. ?A nova estrutura valoriza muito a integridade dos profissionais que atuarão no local, a fiscalização e a abertura das celas feita por cima evita, por exemplo, que os agentes sejam tomados por reféns?, destacou o superintendente de Cadeias de Tangará da Serra, Silvio Aparecido Ferreira.

Serão 16 agentes que irão trabalhar num turno de 24 horas com 72h de descanso. Moacir Benedito Nunes da Cunha é um deles, exercendo essa função há cinco anos, ele que é casado e pai de uma filha acredita que o novo modelo dará mais segurança e tranquilidade para trabalhar e sustentar sua família. ?Vai amenizar bastante, nós não vamos estar em risco constante ao abrir uma cela, o novo sistema tira o agente do contato direto com o preso?, disse.

Foram investidos na obra R$ 5 milhões, recursos vindos do Ministério da Justiça, via Departamento Penitenciário Nacional, e Secretaria de Justiça e Segurança Pública. O centro atenderá cerca de seis municípios da região, atualmente a cadeia pública de Tangará da Serra está com 125 presos e segundo o diretor da cadeia, Luis Agostinho Dantas, a capacidade é para 46. O centro irá solucionar o problema de lotação, pois está pronto para receber até 152 reeducandos podendo chegar a 300, caso seja necessário. ?O centro de detenção abrigará os presos da região e a cadeia só atenderá os casos de prisão do município?, completou Dantas.

A estrutura física tem espaço para os reeducandos desenvolver trabalhos manuais,tomar banho de sol e receber visitas íntimas. Foram construídos ainda no local uma enfermaria e consultório para atendimento odontológico, entre outros. O secretário-adjunto de Justiça, tenente-coronel Zaqueu Barbosa, explica que os centros têm melhor estrutura que as cadeias públicas e podem ser considerados presídios em escala menor.

?O esforço promovido vai dar mais estabilidade ao sistema prisional com as novas vagas, além de outros projetos já encaminhados para o setor, junto com os novos equipamentos de segurança que entregamos nas unidades prisionais. Queremos dar celeridade às obras em andamento para assegurarmos as mais de mil vagas ao sistema neste ano de 2009?, disse o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Diógenes Curado.

O governador Blairo Maggi, acompanhado do secretário Diógenes Curado, do diretor geral da Polícia Civil, José Lindomar Costa e do comandante geral da Polícia Militar, coronel Antônio Benedito Campos Filho, visitou todas as dependências do novo centro e conversou com os agentes prisionais que irão trabalhar no local. ‘É uma demanda antiga da região e a população há muito esperava por esses investimentos na área de Segurança Pùblica’, afirmou Maggi.

Fonte: Expresso MT
__________________
IMPRENSA SINDASP-SP
imprensa@sindasp.org.br

Sem comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile