Na Itália, diretores do Sindasp são recebidos pelo SAPPe e se reúnem com chefe do Departamento da Polizia Penitenziaria

0
91

 

 

No domingo (24) os diretores do Sindasp-SP (Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo) foram recebidos em Roma, na Itália, pelos diretores do S.A.P.Pe. (Sindacato Autonomo Polizia Penitenziaria).

 

Nesta segunda-feira (25), os agentes brasileiros e italianos foram recebidos pela chefe do Departamento da Administração da Polizia Penitenziaria Italiana, Simonetta Matone. Hoje os dirigentes do Sindasp-SP e do SAPPe estão em visita à prisão “Regina Coeli”, situada no centro da capital italiana e a mais antiga do País.

 

Chefe do Departamento da Administração da Polizia Penitenziaria Italiana, Simonetta Matone

 

 

Diretores do Sindasp-SP no primeiro dia de visita na Itália

 

O presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo, disse à Matone que no Brasil tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 308/04, visando a criação da Polícia Penal. Disse ainda que a visita à Itália tem o objetivo de conhecer de perto a Polizia Penitenziaria e o sistema penitenciário italiano, com o objetivo de apresentar os resultados aos governantes brasileiros, na expectativa de que o Brasil se espelhe no modelo italiano para aprovar a PEC 308/04 e incluir o sistema prisional brasileiro no Artigo 144 da Constituição Federal.

 

A chefe da Administração Penitenciária disse que ficou muito feliz pelo fato de os agentes brasileiros terem escolhido a Polizia Penitenziaria Italiana como exemplo, a fim de apresentarem ao governo brasileiro a proposta de se criar a Polícia Penal no Brasil conforme o modelo italiano.

 

Diretores do Sindasp-SP no primeiro dia de visita na Itália

 

De acordo com Grandolfo, conforme a reunião com Matone, uma das questões importantes discutidas é de que a Polizia Penitenziaria é desmilitarizada, como deve ser também proposta no Brasil. O presidente aposta ainda que a estrutura é impressionante e possuem até mesmo barcos, helicópteros e até avião boing, já que há também a Polizia Penitenziaria marítima e aeronáutica.

 

Inicialmente, presta-se concurso e obrigatoriamente, por cinco anos, o agente permanece exercendo suas funções dentro das unidades prisionais. Após esse período, o policial penitenciário pode tentar se especializar e conquistar uma vaga na Polizia Penitenziaria marítima ou aeronáutica, além de outras funções, como tropa de choque, canil, serviço de inteligência, entre outras.

 

O sistema penitenciário italiano também atua na ressocialização dos detentos e tudo está na responsabilidade do policial penitenciário.

 

Comitiva: a comitiva do Sindasp-SP é formada pelos seguintes diretores: Daniel Grandolfo (Presidente), Valdir Branquinho (Vice-presidente), Gláucio Reinaldo M. Pereira (Primeiro secretário), Gilmar Pereira de Oliveira (Diretor sócio-cultural), Carlos Alberto B. Peretti (Suplente de Saúde) e Andrey Rodrigues Silva (Suplente de Esportes).

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.