Palavra do Superintendente do IAMSPE: Perspectivas para 2015

0
64

O ano de 2015 começou com muitos e novos desafios.

 

Além de trabalharmos para consolidar os avanços e conquistas dos últimos anos, teremos que ajustar nosso custeio à realidade do país, sem abrirmos mão da qualidade da assistência médica que prestamos.

 

A ordem é economizar, pois nossos recursos são escassos e preciosos. Energia elétrica, água, gases, materiais, insumos médicos e hospitalares, enfim, tudo o que necessitamos para o nosso dia-a-dia pode e deve ser otimizado.

 

Nós podemos fazer muito mais, lembrando que em 2014 fomos um dos melhores resultados na administração estadual em termos de economia de água no HSPE.

 

A rede de prestadores também terá de ser ajustada, para aumentar a eficiência do atendimento.

 

A ênfase na prevenção, principalmente no gerenciamento do paciente crônico, deve nortear nossas ações de saúde. Hoje, 35 mil pacientes são atendidos pelo programa em 18 cidades do Interior e na capital paulista.

 

Na rede própria, HSPE e CEAMAS devem aumentar sua resolubilidade e produtividade.

 

Devemos prestar uma assistência médica e hospitalar efetiva aos que acessam nosso Sistema de Saúde, resolvendo os problemas, médicos e administrativos, que nos são trazidos por eles.

 

Além dos objetivos estratégicos estabelecidos, cumpre-nos avançar na reforma do HSPE, com a entrega, em 2015, do restante da primeira etapa das obras: Radiologia, Centro de Promoção e Proteção à Saúde do Idoso, prédio de Utilidades, torre de elevadores e Bloco C totalmente adaptado e reformado.

 

Assim como conseguimos recursos para ampliar a rede assistencial e reformar e modernizar o HSPE, perseguimos ainda o objetivo de aprovar a Nova Lei do Iamspe, datada de 1970, que deve ser reformulada e atualizada para atender às novas demandas dos servidores.

 

Nós avançamos bastante nos últimos anos, mas a continuidade do trabalho, a revisão permanente dos processos e a participação integral dos servidores da casa é o que vai definir o Iamspe no futuro, feito por servidores e para os servidores.

 

 

Fonte: Nilze Berger Campos (CCM), via e-mail

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.