Penitenciária de Prudente completa 20 anos

0
48

Carlos Vítolo

A Penitenciária de Presidente Prudente, ?Wellington Rodrigo Segura?, completou 20 anos de fundação. Na última quinta-feira (12), os servidores da unidade participaram de uma cerimônia de homenagens organizada por uma equipe de agentes penitenciários.

O evento ocorreu na própria unidade e, entre os participantes, estavam o atual diretor geral da penitenciária, José Carlos dos Santos, o ex-diretor da unidade Perci de Souza, a mãe, a esposa e a irmã do ex-agente penitenciário Wellington Rodrigo Segura, assassinado em 26 de janeiro de 2007, quando era diretor do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mauá. Segura empresta o nome à Penitenciária de Presidente Prudente. Também estava presente o presidente do Sindasp-SP (Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo) Cícero ?Sarnei? dos Santos, agente penitenciário e servidor naquela penitenciária, além de outras personalidades.

Na abertura da comemoração dos 20 anos da penitenciária, o presidente do Sindasp-SP foi convidado a discursar aos presentes. ?Sarnei? iniciou destacando que a penitenciária ?não faz parte da história, ela é a história?, disse o presidente. Ele ressaltou a importância de todos os profissionais que atuaram e atuam hoje na unidade, independente da área ou funções que exerçam ou tenham exercido. ?Sem esses profissionais, a cadeia não ?anda?. Nós dependemos uns dos outros?, apontou.

O sindicalista destacou ainda que a penitenciária sempre foi um celeiro de formação de diretores para outras unidades de todo o Estado de São Paulo. Também ressaltou que foi na unidade prisional de Prudente que nasceu o primeiro Sindicato dos Agentes de Segurança Penitenciária do Estado de São Paulo, ?uma instituição que leva à risca a sigla desse segmento profissional […] essa é uma realidade incontestável?, disse ?Sarnei?.

O presidente destacou que o ?Sindasp não foi um bandeirante, o Sindasp é um pioneiro! O bandeirante finca sua bandeira, deixa a sua marca e se ausenta. O pioneiro chega, planta a semente, zela pela árvore e passa a colher os frutos. O Sindasp nasceu aqui?, disse ?Sarnei.

Ainda em seu discurso, ?Sarnei? falou da importância de manter a parceria e um sentimento de família entre os agentes penitenciários, pois já são muitas as dificuldades encontradas pela categoria. ?Quero ser enfático ao afirmar a todos vocês que eu tenho orgulho de ser um agente de segurança penitenciária. Inegavelmente, passamos mais tempo com os colegas de serviço do que propriamente com nossas famílias. Enfim, vamos insistir neste espírito de família e de unidade que com certeza nós venceremos?, finalizou o presidente.

Em seguida, foi a vez do diretor geral da penitenciária, José Carlos dos Santos, discursar aos presentes. Ele destacou que o vigésimo aniversário da unidade penal é motivo de alegria para todos os funcionários. Disse ainda que a ?celebração mostra o reconhecimento pelos relevantes serviços prestados à sociedade, de 1989 até a data presente. Foram 20 anos de lutas, de trabalho e dedicação de todos os servidores na busca incessante de manter a ordem e a disciplina interna, proporcionando um ambiente seguro para presos, funcionários e visitantes?. O diretor apontou que ?os últimos tempos, nos reservaram muitas batalhas, mas também muitas vitórias, graças à coragem, dedicação e companheirismo de todo o corpo funcional?, disse o diretor, que agradeceu a todos os servidores pela colaboração no exercício de suas funções.

Em continuidade à comemoração dos 20 anos da Penitenciária ?Wellington Rodrigo Segura?, os presentes assistiram a uma apresentação do canil da unidade, que demonstrou habilidade em possíveis situações de ocorrência dentro das unidades. O canil da unidade foi criado em 1999 e conta com profissionais capacitados e formados para o exercício da atividade.



Por fim, diversos servidores foram homenageados pelos serviços prestados à unidade. Um dos momentos mais emocionantes do evento foi a homenagem prestada à família e ao ex-agente penitenciário Wellington Rodrigo Segura, que empresta o nome à unidade. Segura nasceu em 21 de fevereiro de 1975, em Teodoro Sampaio-SP. Foi investido no cargo de agente de segurança penitenciária no ano de 1998 na Penitenciária de Lucélia, e logo foi transferido para a Penitenciária de Presidente Prudente. Em janeiro de 2006, foi investido no cargo de diretor do Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mauá, onde permaneceu até ser assassinado em 26 de janeiro de 2007.

Familiares de Wellington Rodrigo Segura: esposa, irmã e a mãe

Em seu discurso, a mãe do ex-agente Wellington Rodrigo Segura, Maria Aparecida Alves Segura, visivelmente emocionada, disse: ?quero agradecer a todos que dedicaram suas vidas, minutos de amizade a ele. Eu não saberia enumerar pessoas a quem ele chamaria de pai, de irmão, de meu melhor amigo. Estou muito feliz, muito orgulhosa por essa unidade trazer o nome dele. É claro que eu preferia tê-lo comigo, mas já que não é possível, eu quero agradecer a todos que, com certeza, sentem a mesma alegria?, disse a mãe de Segura. Muito emocionada e às lágrimas, Maria não conseguiu dizer mais nada e encerrou seu discurso.













Resumo do histórico de Wellington Rodrigo Segura

– Nascido em 21/02/1975 na cidade de Teodoro Sampaio/SP, o homenageado faleceu aos 31 anos, quando foi brutalmente assassinado em função da atividade profissional que exercia.

– Filho de Vanderley Soalheiro Segura e Maria Aparecida Alves Segura, casou-se com Luci Mara Aparecida Fransoso Segura. Desse enlace nasceu Amanda Fransoso Segura.

– Foi em Presidente Prudente que Wellington completou sua formação educacional, realizando seus estudos fundamental e médio nas Escolas Estaduais Adolpho de Arruda Mello e Monsenhor Sarrion.

– Em 1993 concluiu o curso superior de Direito na Universidade do Oeste Paulista ? UNOESTE. Desde muito jovem foi um cidadão produtivo, trabalhando em diversas atividades do setor privado: balconista de autopeças, auxiliar técnico de perecíveis, vendedor e fiscal da Cia. Prudentina de Desenvolvimento.

– Com apenas 23 anos foi admitido como funcionário efetivo junto à Penitenciária de Lucélia, logo transferido para a Penitenciária de Presidente Prudente na função de Agente Penitenciário Classe II.

– Na referida unidade desempenhou as funções de responsável pelos serviços no Setor Judiciário, Diretor Técnico de Departamento e Diretor Técnico do Centro de Reabilitação. Neste setor aprofundou-se na matéria.

– Elaborou projetos de reintegração de presos, ministrou palestras e desenvolveu
campanhas sociais com voluntários junto à população carcerária. Em função da repercussão do seu trabalho, foi convidado a exercer a Assistência Técnica de Direção, Presidente Sindicante de Sentenciados e Corpo Funcional e Diretor Técnico de Departamento sucessivamente, todos exercidos na Penitenciária de Franco da Rocha.

– Retornando à Presidente Prudente, exerceu função no setor de Procedimentos Disciplinares em apoio à Diretoria de Núcleo de Segurança e Disciplina.

– Em 2005 foi auxiliar da Diretoria Técnica de Departamento do Centro de Detenção Provisória ? CDP de Santo André.

– Em janeiro de 2006 assumiu a Diretoria Técnica de Departamento do CDP de Mauá ? Diretor Geral, cargo que exerceu por um ano.

– Durante sua passagem pelo Serviço Público, foi muito admirado e respeitado pelos colegas, pois sempre se mostrava sensível e prestativo quando se defrontava com algum problema, quer de caráter profissional ou de ordem particular.

– Pessoa de conduta ilibada, pagou com a própria vida pela fidelidade aos princípios da ética e da moral, ao ser assassinado de maneira covarde, em emboscada levada a cabo pelo crime organizado, em 26 de janeiro de 2007.

____________
Todos os direitos reservados. É permitida livremente a reprodução da reportagem, desde que seja dado o devido crédito, conforme modelo abaixo.
(Lei 9.610/1998, direitos autorais)
.

Fonte: jornalista Carlos Vítolo
Sindasp-SP – www.sindasp.org.br

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.