Presidente do Sindasp solicita aumento do quadro de policiais penais na Penitenciária Feminina de Guariba

0
1281

O Sindasp-SP através do seu Presidente Valdir Branquinho, oficiou a secretaria da administração penitenciária para tomar providências sobre alguns fatos que chegaram ao conhecimento de nossa instituição através de denúncias anônimas referente a Penitenciária Feminina de Guariba.

Segundo Valdir Branquinho, desde a inauguração da unidade, o número de funcionárias que assumiram suas atividades nunca foi o suficiente para as dimensões e atividades daquele local.

Abaixo vamos elencar as dificuldades enfrentadas pelas funcionárias:

  • O atendimento as reeducandas fica prejudicado, fato que gera conflitos e risco de maneira geral;
  • Com o retorno de atividades ligadas ao setor de produção e educação houve o agravamento do quadro de escassez, o que prejudica a segurança;
  • Grande fragilidade e risco a uma única funcionária que fica como responsável em contato direto com cerca de 50 detentas na escola. A mesma agente de segurança tem a responsabilidade de realizar a revista sem apoio de demais funcionárias na saída das mesmas em um único acesso ao pavilhão;
  • Sobrecarga e excesso de responsabilidade direcionado a funcionária que assume o setor de Gaiola 2, pois tem como obrigação vigiar e zelar pelos pavilhões 1 e 2, além do pavilhão de trabalho 1. Ou seja, a agente fica por horas sem qualquer tipo de rendição para suas necessidades básicas, o que aumenta o stress e desgaste do trabalho.
  • A funcionária que assume o acesso superior da Gaiola 2 fica responsável pelos comandos do painel de controle, ou seja, cerca de 40 metros de distância do posto da Gaiola onde as reeducandas passam do pavilhão de trabalho 1, portanto pelo fato de não ter uma zeladora naquele local existe um risco até de ferir alguém ao acionar os comandos por falta de visão;
  • Pouca oferta de Dejeps em comparação as atividades (trabalho, educação, teleaudiência, hospital, psicólogo, limpeza, manutenção etc) e tamanho da unidade, fato que os plantões diurnos contam com apenas 4 ou 5 funcionárias para realizar os trabalhos, isso incluindo a Diretora de serviço;
  • Devido essa falta de trabalhadoras, os funcionários do sexo masculino estão sendo convocados para assumirem setores internos, fato que traz constrangimento a ambos os lados.

O Sindasp solicita a secretaria a automatização do acesso ao setor escolar e instalação de câmeras de segurança dentro, deixando a agente de segurança distante do contato direto com as reeducandas, pedimos também que seja pleiteado junto a coordenadoria da região Noroeste o remanejamento e liberação de mais Dejeps para auxiliar na escassez da unidade e que seja fornecido funcionárias de outras unidades a título de empréstimo até a reposição do quadro de forma urgente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.