Reunião entre diretorias Executiva e regionais do Sindasp-SP articula possível retomada da greve geral no próximo dia 20

0
25

Colaborou com a reportagem, Gian Nascimento (estagiário da Assessoria de Imprensa)

 

Diretores das sedes regionais e da Executiva do Sindasp-SP estiveram reunidos ontem (7) na sede Estadual, em Presidente Prudente, para articular os procedimentos a serem tomados caso o governo não atenda as reivindicações da categoria e a greve geral de 2014 seja retomada no próximo dia 20.

 

Assim como foi decidido nas vinte e uma Assembleias Gerais Extraordinárias (AGEs), realizadas em diversos pontos do Estado, as diretorias chegaram a conclusão de que a greve só não será retomada caso o governo cancele os Processos Administrativos Disciplinares (PADs) ainda abertos contra 32 servidores que participaram da greve de 2014. Restam apenas duas assembleias e a última será realizada na sede estadual, em Presidente Prudente, em 14/7, e poderá decretar a paralisação a partir de 20/7.

 

Os servidores que ainda respondem os PADs trabalham nos Centro de Detenção Provisória (CDP) de Franca e Jundiaí e na Penitenciária de Iperó, nas Coordenadorias das Unidades Prisionais da Região Noroeste, dirigida por Carlos Alberto Ferreira de Souza, e da Região Central, dirigida por Jean Ulisses Campos Carlucci.

 

O arquivamento imediato de todos os casos de processo administrativo instaurados contra os servidores é o principal motivo da retomada da greve.

 

No último dia 9/6 o presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo, acompanhado de diretores do sindicato, se reuniu com o secretário de Estado da Administração Penitenciária, Lourival Gomes, para discutir os itens da pauta 2015, que está sendo analisada pelo governo e uma nova audiência será agendada para dar continuidade as negociações. Na ocasião, também foi decidida pela reabertura do grupo de trabalho para conceder o Bônus de Resultado Penitenciário (BRP).

 

 A pauta de reivindicações de 2015 contempla os seguintes itens:

 

– reajuste conforme inflação;

– porte de arma para os servidores aposentados;

– fardamento completo;

– venda dos três meses da licença-prêmio;

– que os agentes penitenciários aposentem na classe que ocupem no momento da aposentadoria (e não rebaixar uma classe como ocorre atualmente);

– criação da nova funcional dos servidores;

– LPT com consulta pública e transparência;

– Direito a mais uma folga SAP;

– Regulamentação da troca de plantão.

 

Na reunião, também foi criada a Comissão de Greve, composta pelo presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo, além dos seguintes diretores: Cícero Félix de Souza (Secretário Geral); Ismael Manoel dos Santos (Diretor de Comunicação); Carlos Rufino (Diretor Administrativo da Sede Regional de Hortolândia); e Regina Célia dos Santos (Diretora de Saúde da Executiva e Administrativa da Sede Regional de Andradina).

A comissão será responsável por orientar os diretores das regionais, delegados e representantes de turno, que repassarão as informações aos servidores de todas as unidades prisionais do Estado, para que se tenha um procedimento padrão nas ações.

 

Por fim, foram decididos os serviços essenciais que funcionarão normalmente e os que serão paralisados em virtude da greve. Clique AQUI e faça o download da cartilha de greve. De acordo com o presidente do Sindasp-SP, os servidores que não seguirem a cartilha terão de responder pelos próprios atos.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.