Sindasp aguarda posição da SAP para que agentes que respondam a PAD sejam liberados para fazer DEJEP

0
51

     Carlos Vítolo     

Jornalista/Assessor de Imprensa do Sindasp-SP

imprensa@sindasp.org.br

 

® © (Direitos reservados. A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura do jornalista e do Sindasp-SP, mediante penas da lei.) 

 

 

O Sindasp-SP está na expectativa de nos próximos conseguir a liberação para que os agentes de segurança penitenciária (ASP) que respondam a Processo Administrativo Disciplinar (PAD) ou sindicância possam realizar normalmente a Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho (DEJEP).

 

O presidente do Sindasp-SP, Daniel Grandolfo, solicitou a liberação pela terceira vez ao secretário da Administração Penitenciária, Lourival Gomes. Grandolfo argumentou ao secretário que a portaria que exclui da DEJEP os servidores que respondem PAD “pune antecipadamente e é inconstitucional”. Disse ainda que o princípio de presunção de inocência é uma regra garantidora do Estado Democrático de Direito, e que a SAP não pode afrontá-lo.

 

O princípio da presunção da inocência, também chamado de princípio da não-culpabilidade, estabelece o estado de inocência como regra em relação ao acusado da prática de infração penal e está previsto no artigo 5º, inciso LVII, da Constituição Federal: "Ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória". Ou seja, somente após um processo concluído, onde a decisão condenatória não mais caiba recurso, em que se demonstre a culpabilidade do réu é que o Estado poderá aplicar uma pena ou sanção ao indivíduo condenado.

 

De acordo com Grandolfo, caso não haja um posicionamento favorável da SAP, o Sindasp-SP vai impetrar um mandado de segurança para garantir o direito dos servidores, tendo em vista que o assunto já foi discutido com o secretário.

 

Vale sempre lembrar que a DEJEP, Lei nº 1.247/2014, foi um projeto apresentado pelo Sindasp-SP e faz parte do acordo tratado durante as reuniões de negociação no período de greve da categoria, realizada de 10 a 26 de março do ano passado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.