Sindasp cobra que governo envie projeto que cumpre acordo greve para a Alesp e agende audiência para discutir pauta 2014

0
14

 

 

O Sindasp-SP encaminhou ofício ao governador Geraldo Alckmin (PSDB), cobrando o encaminhamento do Projeto de Lei Complementar (PLC), que trata das conquistas do sindicato durante a greve, para apreciação da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

 

No mesmo documento, o sindicato também solicitou a realização da audiência para dar início às negociações da pauta 2014 da categoria. Vale lembrar que, durante a reunião de negociação com os secretários Edson Aparecido, Júlio Semeghini e Lourival Gomes, no Palácio dos Bandeirantes, em 26/03, ficou acordado que o governo receberia a categoria no prazo de até 30 dias. O prazo para completar os 30 dias encerra neste sábado, 26/4/2014.

 

Em relação ao PLC, no final da tarde de quinta-feira (24), a reportagem do Sindasp-SP entrou em contato com a Alesp para saber se o governo já havia feito o protocolo na Casa, mas de acordo com o funcionário do setor, o Executivo ainda não havia enviado o projeto. 

 

Desde que foi decretado o final da greve dos agentes de segurança penitenciária (ASP), em 26/3 e que durou 15 dias, a categoria aguarda que o governo encaminhe PLC para apreciação da Alesp. O PLC contém a proposta que foi apresentada na reunião de negociação entre sindicalistas e representantes do governo em 26/3.

 

A informação apurada pela assessoria de imprensa do Sindasp-SP é de que o projeto passou pela Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) e foi assinado pelo secretário Lourival Gomes no último dia 11.

 

 

Conquistas:

 

Vale lembrar que os itens da primeira proposta apresentada pelo governo, em 11/3/2014, que havia sido rejeitada pelas assembleias na mesma data, também fazem parte do pacote aprovado pela categoria durante as novas assembleias realizadas em 26/3/2014.

 

Entre as conquistas estão a redução de uma das classes da categoria, passando de 8 para 7,  embora o pedido do Sindasp-SP era para que as classes fossem reduzidas de 8 para 6. Também foi conquistada a redução do interstício para três anos e o aumento na porcentagem de agentes penitenciários promovidos por merecimento, passando de 20% para 30%.

 

A proposta atendeu ainda o projeto apresentado pelo Sindasp-SP, chamado de “bico legalizado”, intitulado pelo governo de “diária especial por jornada extraordinária penitenciária”, no valor de R$161,12 ao dia, em caso de convocações. De acordo com a análise do sindicato, os diretores das unidades poderão fazer 120 convocações ao mês e cada servidor que se inscrever terá a oportunidade de realizar o “bico” duas vezes ao mês, o que corresponde a R$322,24.

 

Outro projeto do Sindasp-SP aceito foi o do “bônus de assiduidade” (anual), nos mesmos termos e critérios concedido à Polícia Militar. No entanto, ficou definido que será criado um grupo de trabalho, no prazo de 30 dias, com a participação do Sindasp-SP, para estudar a criação do bônus.

 

Também foi conquistado o reajuste do adicional de periculosidade para a área de meio das unidades prisionais, que passará de R$179,00 para R$250,00. Inicialmente o valor seria de R$208,71, mas o Sindasp-SP não aceitou e cobrou um valor maior, o que foi concedido pelo governo.

 

É importante destacar que a pauta é de 2013 e que também já foram conquistadas pelo Sindasp-SP a incorporação do Adicional de Local de Exercício (ALE) ao salário-base, o reajuste de 7% no salário (publicado pelo Diário Oficial do Estado, em 1º/11/2013, pela Lei Complementar nº 1.216), o reajuste no valor do seguro de vida, que passou de R$100 mil para R$200 mil e a automatização das unidades prisionais, que está em andamento e que deverá evitar os casos de agressões contra os servidores. Todas essas conquistas fizeram parte das reivindicações do ano passado.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.