Inicio Sistema Prisional PERSPECTIVAS DE NOVOS TEMPOS

PERSPECTIVAS DE NOVOS TEMPOS

1

Em primeira reunião com sindicatos, novo secretário diz que Polícia Penal é prioridade, promete transparência e apoio à valorização de servidores

Marcelo Streifinger esteve nesta terça-feira(10) com membros do Fórum Penitenciário Permanente – formado por SINDASP, SINDCOP e SIFUSPESP, e se comprometeu a apresentar plano de metas para a SAP em até 100 dias, além de fazer novas agendas para debater itens apresentados em relatório de reivindicações dos trabalhadores. Titular da pasta também descartou privatizações, abordou mudanças no bônus, disse estar atento à LPT única e exaltou que sua gestão terá foco na praticidade

 Em reunião feita com os sindicatos que representam os servidores do sistema prisional paulista nesta terça-feira(10), o novo secretário de Administração Penitenciária, Marcello Streifinger, se comprometeu a trabalhar em conjunto com as entidades – ente elas o SIFUSPESP, o SINDCOP e o SINDASP, para promover melhorias na gestão da Secretaria de Administração Penitenciária(SAP) e nas condições de trabalho dos servidores.

O titular da pasta, que afirmou ter lido o relatório completo apresentado pelo Fórum Penitenciário Permanente à equipe de transição do governo do Estado, falou em “praticidade” na sua forma de trabalhar. Apesar de não ter se aprofundado nas pautas que constam no documento, disse que terá em sua agenda espaço para reuniões já nas próximas semanas em que estes itens serão colocados em discussão.

Uma das propostas é que os sindicatos voltem a ser chamados para um debate com a secretaria “em no máximo” 15 dias, quando será então iniciado um canal de negociação a respeito de algumas das reivindicações dos trabalhadores. Nas palavras de Marcello Streifinger, “existem muitas coisas a serem resolvidas” que deverão ser colocadas em pauta a partir de reuniões periódicas.

Regulamentação da Polícia Penal

Streifinger esclareceu que sua gestão quer a regulamentação ágil da Polícia Penal, ressaltando a grande responsabilidade daqueles que vão elaborar a legislação complementar da qual a Proposta de Emenda Constitucional(PEC), aprovada em junho de 2022, ainda carece para que as atribuições dos servidores de custódia, segurança, escolta e vigilância das unidades tenham respaldo jurídico e possam ser colocadas em prática.

Nesse sentido, o secretário considerou fundamental que sejam retomadas as atividades do Grupo de Trabalho(GT) da Polícia Penal, que reúne tanto os representantes dos sindicatos quanto da própria SAP. O GT foi a equipe multidisciplinar responsável pelo detalhamento do texto da PEC, e também precisa finalizar tanto a Lei Complementar quanto a Lei Orgânica, além do Estatuto da Polícia Penal.

Concursos públicos e fim do déficit funcional

Além disso, Marcello Strefinger também se mostrou atento a algumas das reivindicações mais urgentes disponíveis no relatório apresentado pelo Fórum, entre elas a nomeação dos aprovados nos concursos públicos ainda vigentes, entre eles para policial penal da carreira de Agente de Segurança Penitenciária(ASP) de 2017; agente de escolta e vigilância penitenciária(AEVP) de 2014 e das áreas técnicas e de saúde, de 2018  – com o objetivo de zerar o déficit funcional.

LPT única

O secretário também defendeu a construção de uma Lista Prioritária de Transferências(LPT) única, que poderá trazer benefícios a todos os servidores que seguem trabalhando longe de casa. Para tanto, Streifinger afirmou que as Coordenadorias de Unidades Prisionais já estão realizando um levantamento sobre as datas e nomes dos servidores que manifestaram interesse em serem transferidos via Lista Prioritária de Transferências Regional(LPTR).

Na visão do titular da pasta, com essa lista em mãos, será possível planejar a LPT única, desejo antigo da imensa maioria dos servidores e reivindicação histórica dos sindicatos.

Privatizações descartadas

O secretário também descartou que o governo Tarcísio de Freitas(Republicanos) e que sua gestão à frente da SAP levarão adiante projetos de privatização do sistema prisional, seja por meio de Parcerias Público-Privadas(PPPs) ou editais de cogestão.

Valorização salarial

Marcelo Streifinger ainda relatou que de acordo com as propostas estabelecidas pela nova gestão, os policiais penais serão valorizados, mas que ainda não está no horizonte nem qual índice, tampouco quando serão reajustados os salários percebidos pela categoria.

Em 100 dias, um plano de metas será apresentado por todas as secretarias, o que na SAP poderá contemplar um projeto para o reajuste salarial, a conclusão do GT e a regulamentação da Polícia Penal, além das demais pautas de reivindicação apresentadas no raio-x do sistema prisional.

 Bônus penitenciário

Outro ponto tratado durante a reunião foi a mudança nos critérios para a concessão do bônus penitenciário, regulamentado em maio de 2022 através de um decreto do então governador Rodrigo Garcia(PSDB).

O secretário-executivo da pasta, Marco Antônio Severo Silva, informou que a forma de contabilidade dos critérios será revista, com pedido de reavaliação, e republicada, a partir do entendimento de que houve erros e que os valores serão calculados de acordo com a execução da função própria dos servidores dentro do ambiente de trabalho, não em atividades que não cabem aos policiais executarem.

Avaliação do Fórum  é positiva, e raio-x do sistema será base da negociação

Os presidentes do SIFUSPESP, Fábio Jabá; do SINDCOP, Gilson Barreto; e do SINDASP, Valdir Branquinho, estiveram na reunião e elogiaram a postura do secretário em relação à iniciativa de ter convidado os sindicatos para debater a situação do sistema penitenciário. “Nos últimos 28 anos, o que se viu foi a total falta de disposição dos inúmeros governos do PSDB em dialogar. Esperamos que este seja o primeiro de muitos encontros que levarão as demandas da categoria a serem tratadas como prioridade”, afirmaram

Os sindicalistas ainda ponderaram que o raio-x do sistema prisional será a base da negociação entre o Fórum Penitenciário Permanente, a SAP e o governo do Estado, contemplando todas as carreiras que integram a secretaria, seja no eixo relacionado às condições de trabalho, seja no âmbito dos aumentos salariais e progressões de carreira.

“Deixamos nítido também em nossa conversa com o Marcello que a data-base da categoria precisa ser respeitada, e que existe muito trabalho pela frente. Acreditamos que ao dizer que será transparente com os sindicatos e pragmático, no sentido de praticidade, de respeito ao trabalho que fazemos e de uma missão que ele afirma ter, “de cuidar da SAP”, poderemos realizar uma construção coletiva, que será benéfica a toda a sociedade”, relataram os presidentes do SIFUSPESP, do SINDCOP e do SINDASP.

“O secretário disse abertamente que precisava conhecer os sindicatos, seus presidentes e diretores, apresentando a forma de trabalhar, mesmo que não tenha se aprofundado em nenhuma pauta”, definiu o Fórum. Na próxima semana, as entidades devem receber da SAP um calendário com a programação tanto da retomada do GT da Polícia Penal quanto das reuniões para discutir os demais itens do relatório, e vão comunicar os servidores sobre as datas e temas dessas agendas tão logo elas sejam divulgadas pela secretaria.

“O balanço é muito positivo em relação à abertura desse canal de diálogo, mas o Fórum Penitenciário Permanente continuará com foco e atento porque precisa colocar na mesa as principais demandas dos milhares de servidores que ficaram tão invisíveis ao governo do Estado nas últimas décadas. Que este seja o primeiro de muitos outros debates em que os direitos da categoria e da segurança da sociedade fiquem em evidência”, finalizaram.

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns a todos, só o fato e termos sidos convidados à reunião já demonstra que o novo secretario sabe quem somos, parabéns ao SINDASP que soube levar uma pauta pela qual a categoria aguarda ansiosamente.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile