Unidades prisionais do Pará recebem detectores de metal para reforçar segurança nos presídios

0
29

Os novos detectores de metal são 150 peças manuais do tipo raquete, que bloqueiam a entrada de objetos de metal no local e vão ajudar na fiscalização de visitantes nos centros de detenção

 

A Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) começou a distribuir nesta segunda-feira, 20, novos detectores de metal para as unidades prisionais de todo o Estado. São 150 peças manuais do tipo raquete, que bloqueiam a entrada de objetos de metal no local e vão ajudar na fiscalização de visitantes nos centros de detenção. Os equipamento são os mesmos utilizados na fiscalização dos aeroportos de todo o país.

 

Os equipamentos custaram R$ 50 mil e tiveram investimentos do Governo do Estado, com o intuito de aprimorar o monitoramento de segurança nas unidades prisionais e reforçar os procedimentos padrões de segurança, impedindo a entrada de telefones celulares, armas de fogos, facas e até chips de aparelhos celulares.

 

O superintendente da Susipe, coronel André Cunha, ressaltou que, mais uma vez, o Estado cumpre o seu papel de realizar a melhoria do sistema prisional paraense. “É mais um importante investimento do Governo na segurança pública do Estado. Com o uso dos detectores de metal iremos coibir a entrada de objetos ilegais não só nos dias de visita, mas na movimentação diária da casa penal. A sensibilidade do equipamento irá reforçar nossos mecanismos de segurança nas unidades prisionais”, explica.

 

André Cunha destacou, ainda, que este é mais um passo importante para melhorar o monitoramento da entrada de pessoas nos presídios com materiais proibidos, “Esse equipamento é o mesmo utilizado pela Infraero, nos aeroportos de todo o Brasil. O detector de metal passou por testes experimentais em casas penais da Região Metropolitana, para analisarmos sua funcionalidade para o sistema penitenciário, os resultados foram satisfatórios”, afirma.

 

Os novos equipamentos eletrônicos passam a auxiliar o trabalho dos agentes penitenciários. No Presidio Estadual Metropolitano (PEM I), os processos de revista passaram por simulação para verificar os níveis de sensibilidade. De acordo com o diretor da unidade, major Alexsandro Bahia, o equipamento aumenta a segurança dos agentes carcerários que trabalham diretamente com os mais de 600 detentos custodiados. “Aqui é uma área de segurança pública e toda cautela é pouca. A Susipe dá um salto ainda maior na utilização das novas tecnologias. A aquisição destes equipamentos, que entram em funcionamento a partir de agora, é fundamental para se vistoriar, na entrada dos blocos, as visitas e os próprios funcionários, minimizando possíveis irregularidades na casa penal”, esclareceu.

 

Quem for ao PEM I deverá passar também por um portal que possui sensores capazes de indicar inclusive o simples botão de uma calça jeans. A sensibilidade do equipamento pode ser alterada conforme a quantidade de metal e a sua localização no corpo. Os novos detectores de metal possuem ajuste digital com 10 níveis de sensibilidade, com alarme vibratório, capazes de identificar qualquer tipo de metal. A partir de agora, todos os visitantes terão de passar pelo equipamento antes de chegar ao pátio para visitar os presos. Em média, a cada dia de visita, cerca de 100 pessoas entram na unidade prisional.

 

Em 2013, 67 pessoas foram flagradas durante os dias de visita às unidades prisionais do Pará transportando objetos ilegais dentro do corpo (em partes íntimas). No total, 117 celulares, além de chips, carregadores, baterias para aparelhos telefônicos móveis e substâncias entorpecentes foram encontradas (não temos a quantidade de entorpecentes, pois o material é encaminhado à Polícia Civil). Já em 2014, até setembro, 56 pessoas foram flagradas durante os dias de visita às unidades prisionais do Pará transportando objetos ilegais dentro do corpo (em partes íntimas). No total, 72 celulares, além de chips, carregadores, baterias para aparelhos telefônicos móveis e substâncias entorpecentes foram encontradas (não temos a quantidade de entorpecentes, pois o material é encaminhado à Polícia Civil).

 

Mais de 95% das pessoas flagradas transportando objetos ilegais nas partes íntimas são mulheres. Durante os dias de visita nas 41 unidades prisionais do Pará, o quantitativo de visitantes oscila em torno de 3 a 4 mil pessoas, por semana. O Departamento Penitenciário Nacional (Depen) irá disponibilizar para a Susipe mais dois aparelhos de Raio-X, 12 portais, 101 raquetes e 43 banquetas metálicas. No total, os investimentos são da ordem de R$ 400 mil reais.

 

 

Fonte: Agência Pará

DEIXE UM COMENTÁRIO

Digite seu comentário!
Informe seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.